Vacinação contra o Coronavírus e a produção de anticorpos no leite materno

No início de 2021, foram publicados alguns estudos, em especial um israelense (Perl e colaboradores) e outro americano (Gray e colaboradores), que identificaram anticorpos no leite materno de lactantes vacinadas com a vacina da Pfizer-BioNTech, à época não disponível no Brasil. Esses anticorpos poderiam, provavelmente, proteger os recém-nascidos e crianças maiores em aleitamento materno contra a Covid-19.

Segundo Valdenise Martins Laurindo Tuma, do Depto. de Aleitamento Materno da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), foi iniciado, estudo semelhante no Instituto da Criança e do Adolescente do HCFMUSP, utilizando o leite doado por 20 voluntárias vacinadas com duas doses da vacina CoronaVac (da Sinovac Biotech) em janeiro e fevereiro. Avaliou-se a presença do anticorpo IgA (imunoglobulina A) específico para o SARS-CoV-2 em amostras coletadas antes da vacina e semanalmente até a 3ª semana após a segunda dose. Demonstraram-se picos de anticorpos IgA na 1ª e 2ª semanas após a primeira dose e níveis mais elevados na 5ª e 6ª semanas após a primeira dose (1ª e 2ª semanas após a segunda dose). Amostras coletadas 4 meses após a 1ª dose ainda mostraram níveis significativos de anticorpos em 50% das nutrizes.

Esse texto na íntegra pode ser acessado no link: www.spsp.org.br/2021/06/30/coronavac-tambem-pode-induzir-a-producao-de-anticorpos-no-leite-materno

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.