Ação no Hospital Estadual da Criança ameniza a dor e distribui alegria

142
Foto: Mauricio Bazilio

Oferecer algumas horas do seu dia e se empenhar em arrancar sorrisos de pacientes no Hospital Estadual da Criança em Vila Valqueire, na Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ). É a missão dos voluntários, homens e mulheres: estudantes de medicina, odontologia, psicologia, aposentados, professores, artistas, músicos entre outros profissionais que de segunda a sábado visitam o HEC e distribuem alegria aos pequenos.

Realizando entregas de brinquedos, livros, material didático, ensinando artesanato e muitas vezes vestidos de palhaços ou personagens animados, os voluntários têm feito um trabalho essencial para o tratamento das crianças. A visita melhora o ambiente, trazendo harmonia, aliviando a tensão sofrida pelos pais e profissionais que trabalham diariamente na unidade.

O advogado Rafael Marco Gatti, há dois anos doa algumas horas do seu tempo como o personagem Star Wars para alegrar os pequenos pacientes do HEC. “Sinto-me muito bem em realizar esse trabalho com as crianças, sempre gostei de ajudar as pessoas, então a vida acabou me levando cada vez mais para esse lado. A energia, o sorriso, chegar à enfermaria, ao ver todos calados, cada uma na sua. Então começamos a conversar, brincar simulando uma luta de sabre de luz e eles também se sentem heróis. Isso é recompensador”, destacou ele.

O cuidado e o carinho dos voluntários passam por todos os setores do hospital, envolvendo pacientes, profissionais e pais de pacientes. A professora de artesanato, Elisangela de Souza Tavares trabalha com as mães de pacientes da UTI do HEC. Todas as quartas-feiras a professora dá aula de artesanato na unidade com o intuito de distrair e diminuir a aflição e o estresse causado pelo tratamento dos pequenos.

“Está sendo maravilhoso perceber como a oficina é importante para as mães que conseguem esquecer um pouco dos seus problemas. Às vezes a mãe chega chorando, diz que não vai fazer o artesanato proposto por causa da sua dor e acaba se interessando e esperando para fazer mais na próxima semana. É muito gratificante”, conta a voluntária.

Elisangela trabalha no HEC há um ano com a oficina de reciclagem, transformando garrafas pet, vidros, potes de sorvete e retalhos, em laços, tiaras e porta joias. “Cada semana tento trazer algo novo, porque algumas mães passam um período longo no hospital, então é muito importante trazer novas atividades, que sejam capazes de manter o interesse”, explicou.

Para Shirley Perseguin, mãe do paciente Guilherme Perseguin de 3 anos, o trabalho voluntário é muito importante. As internações podem ser longas e muitos pacientes não recebem visitas regulares, nesses casos, os voluntários se tornam a família juntamente com os profissionais da unidade. “Eles chegam, brincam com os pacientes, conversam com os acompanhantes, já vi muitos, sendo recebidos como visita, só quem passa dias no hospital entende como é importante conversar com outras pessoas que não sejam os médicos e enfermeiros”, relatou a mãe.

Como se tornar um voluntário?

Atualmente o hospital conta com 18 voluntários, cinco grupos e diversos voluntários sazonais como: personagens de Star Wars e cosplay, cantor sertanejo e maquiadora artística. Para ser um voluntário é necessário ter idade acima de 18 anos e ter disponibilidade de quatro horas semanais. No ato da inscrição o candidato preenche uma ficha na recepção da unidade de saúde, em seguida o setor responsável entra em contato para agendar uma entrevista.

Hospital da Criança

A unidade atende crianças e jovens de 0 a 19 anos, sendo a primeira unidade pública pediátrica no estado voltada para cirurgias de média e alta complexidade, além do tratamento do câncer. A unidade atualmente opera com 43 quartos individuais, 10 de UTI neonatal, 5 de UTI Pediátrica, 10 poltronas de quimioterapia, 5 consultórios, oficina de prótese, consultório odontológico, 3 salas de cirurgia e 4 leitos de RPA (repouso pós-anestésico), além de disponibilizar exames de ultrassonografia, tomografia computadorizada, ecocardiográfica, raios X, endoscopia, colonoscopia, broncoscopia, serviços de fisioterapia motora e respiratória, terapia ocupacional e apoio psicológico, pedagógico e social aos pacientes e familiares.

Certificação de excelência – A unidade possui acreditação pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) – entidade que certifica a qualidade de serviços de saúde com foco na segurança do paciente, na qual é acreditada com o Nível 3 de Excelência, sendo o único hospital público do Rio de Janeiro com essa certificação. Todos os pacientes são encaminhados à unidade através do Sistema de Regulação do Estado (SER). O hospital já realizou ao todo desde sua inauguração em março de 2013 cerca de 100 mil consultas, 27 mil procedimentos cirúrgicos e 152 transplantes.

Deixe seu comentário