Estudantes da FEI desenvolvem cadeira de rodas para melhorar eficiência da locomoção e reduzir lesões no cadeirante

282

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Física (3 de dezembro) é uma data comemorativa promovida pelas Nações Unidas desde 1992 com o objetivo de defender a dignidade de milhões de pessoas com deficiências, incluindo as que dependem permanentemente de cadeiras de rodas. E é com o objetivo de auxiliar o dia a dia de pessoas que dependem do equipamento que estudantes do Centro Universitário FEI projetaram uma cadeira de rodas que utiliza alavancas como propulsores.

De fato, a locomoção com cadeira de rodas é considerada uma forma ineficiente de locomoção e a incidência de lesões e dor nos membros superiores entre os usuários é elevada. Como explica o professor Dr. Marko Ackermann, coordenador do curso de Engenharia Mecânica do Centro Universitário FEI, “esta solução, desenvolvida pelos alunos, possibilita uma propulsão mais favorável do ponto de vista biomecânico, principalmente devido a configuração mais fletida do ombro”.

Em terrenos acidentados e aclives, o cadeirante pode posicionar as mãos na parte superior da alavanca para aplicar torque maior na roda de modo a vencer obstáculos mais facilmente. Em velocidades maiores em terrenos menos acidentados e mais horizontais, o cadeirante pode manter as mãos em posição inferior ao longo da alavanca.

Além da cadeira de rodas, os alunos de Engenharia Mecânica da FEI também trabalham em soluções inovadoras e sustentáveis para desafios encontrados nas áreas de meio ambiente e energia limpa. Todos os projetos serão expostos no campus de São Bernardo do Campo (Av. Humberto de Alencar Castelo Branco, 3972-B) nos dias 6 e 7 de dezembro, a partir das 18h30.

“Apesar do grande número de pessoas com deficiência dependentes de equipamentos de auxílio, a locomoção com estes dispositivos muitas vezes causa desconforto, demanda esforço excessivo e pode causar lesões”, conclui o professor.

Deixe seu comentário