Gestão eficaz no atendimento ao paciente norteia Encontro Catarinense de Enfermagem

474
Organizadores e palestrantes do evento. Foto: Rafael Richartz

Quanto mais o paciente puder ser o protagonista de seu próprio tratamento, mais eficiente e eficaz é o atendimento que recebe. Esta ideia foi o ponto de partida do 4º Encontro Catarinense de Enfermagem, um dos maiores eventos da área da saúde em Santa Catarina com foco exclusivo no segmento da enfermagem. Promovido pelo Hospital Dona Helena, o encontro reuniu cerca de 400 pessoas, na sexta-feira (26), no Centro de Convenções do Hotel Bourbon, em Joinville (SC). A partir do tema “Qualidade em saúde baseada na eficiência e eficácia assistencial”, painéis e palestras foram promovidas ao longo do dia, ministrados por profissionais experientes da área.

“É um assunto que nos desafia diariamente, sobretudo, se considerarmos as mudanças cotidianas nos sistemas de precificação e remuneração dos serviços de assistência hospitalar”, apontou Fabiana Efting Mohr, gerente de enfermagem do HDH. Segundo ela, a essência da profissão continuará sendo o cuidado ao ser humano. Para qualificá-lo, a gerente ressaltou também a importância do profissional estar preparado às mudanças aceleradas nas áreas científicas, tecnológicas e administrativas. Para Roberto Carneiro, diretor-secretário do HDH, o perfil do novo profissional da saúde é o de agente e ator de seu próprio desempenho, contribuindo para que todo o conjunto de pessoas e processos possa evoluir com ele. “Precisamos estar atentos aos processos da qualidade, aos procedimentos padronizados, pensando e agindo de forma a ver o conjunto da situação, para atuar de forma sistêmica.”

Destaques do evento

Uma das principais palestrantes foi Vania Röhsig, superintendente assistencial do Hospital Moinhos de Vento (Porto Alegre/RS). Sua palestra teve como tema “Eficiência assistencial”, explanando sobre o case do hospital em que atua. “A prática assistencial baseada em evidências e o acompanhamento metódico dos resultados são fundamentais para enfrentar os desafios da saúde no futuro. A ideia é que o paciente seja cada vez mais o protagonista do seu cuidado e que a geração de valor pelas instituições esteja no centro da gestão da saúde”, sublinhou.

Jean Rodrigues da Silva, secretário de saúde de Joinville e diretor-presidente do Hospital São José, explicou sobre como é a gestão de instituições públicas de saúde, tendo em vista as dificuldades de repasse de verbas. Segundo ele, existe uma alta entrega de serviço para a população diariamente, o que fez com que a questão da eficiência se tornasse o ponto-chave para a sua sustentabilidade. “No sistema público, o desafio é sempre voltado para o agora. Para o ontem” […] Temos a missão de promover (e não recuperar) saúde todos os dias, com organização e eficiência.”

Ao longo do evento, os palestrantes abordaram temas como responsabilidade civil, entrega de valor, padronização e gestão de setores hospitalares. Dentre eles, estava Bianca Piasecki, gerente de qualidade do Hospital Marcelino Champagnat, de Curitiba (PR). Piasecki frisou que “toda a liderança está envolvida em todos os processos” da instituição em que atua, fortalecendo a ideia da gestão hospitalar como um trabalho em equipe, ao invés de setores independentes trabalhando de forma alheia.

Ao fim, houve uma apresentação teatral do grupo “20V”, formado por profissionais do Hospital Dona Helena. Além dele, o coral Maria Carola Keller também esteve presente para acompanhar o grupo teatral com música e canto. O encontro também contou com a presença do prefeito de Joinville, Udo Döhler, e da enfermeira Daniella Farinella Jora, conselheira secretária do Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (COREN/SC), representando a presidente Helga Bresciani.

Deixe seu comentário