Hospital Brasil inaugura unidade de transplante de medula óssea

664

O Hospital e Maternidade Brasil da Rede D’Or em Santo André (SP), vai inaugurar sua Unidade de Transplante de Medula Óssea (TMO) no dia 3 de setembro. Pioneiro na região, o novo serviço proporcionará aos pacientes da região do Grande ABC uma estrutura completa no tratamento de doenças hematológicas.

A unidade de TMO, localizada no último andar, possui 4 leitos e dispõe de um sistema de filtro especial de pressão positiva do ar (além de filtrar, não permite a entrada do ar externo) nos quartos e nos corredores. A medida tem o objetivo de proteger os pacientes, que ficam com a imunidade comprometida com o procedimento. O Hospital construiu uma área voltada à fisioterapia e à reabilitação dos transplantados.

“Com esta área de circulação de ar protegida, o paciente vai poder sair dos quartos para atividades, ele não ficará confinado. O tempo de internação é longo e isso tem grande importância para a reabilitação”, explica a hematologista Andreza Feitosa Ribeiro, coordenadora do Serviço de Medula Óssea do Hospital Brasil. Ainda segunda a coordenadora, a unidade de Transplante de Medula Óssea conta com uma equipe multidisciplinar, composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos, nutricionistas e fisioterapeutas.

“Com a inauguração da unidade de TMO no Hospital Brasil passamos a oferecer para todo o ABC uma cobertura ampla de um atendimento de referência, terciário e complexo para um maior número de pacientes. Teremos a Rede D’Or cada vez mais próxima do cliente”, afirma Eduardo Magalhães Rego, coordenador de Hematologia na Oncologia D’Or.

O Transplante de Medula Óssea (TMO) é indicado para pacientes com determinados tipos de câncer e outras doenças graves que comprometem a produção de componentes do sangue. Ele pode ser autólogo (a medula vem do próprio paciente) ou alogênico (a medula é fornecida por um doador). Inicialmente, o serviço do Hospital Brasil atenderá casos autólogos e terá capacidade de realizar entre 15 a 20 transplantes ao ano, para tratamentos de linfoma e mieloma múltiplo. “Mas a unidade já está apta a transplantes feitos com doadores, que será o próximo passo”, completa Andreza Feitosa Ribeiro.

Para a coordenadora de Hematologia dos hospitais da Rede D’Or no ABC, Profa. Davimar Borducchi, a região do ABC ganha com a chegada de uma equipe capaz de executar com maestria o transplante de medula óssea. “Estamos prontos para dar aos nossos pacientes um atendimento personalizado e completo, sem que eles tenham necessidade de deslocamento para dar continuidade ao tratamento hematológico”, diz Davimar.

Deixe seu comentário