1º Encontro de Humanização da Pró-Saúde revela iniciativas que ajudaram a atravessar pandemia

As videochamadas entre pacientes internados nas UTIs e seus familiares feitas por médicos e profissionais da enfermagem, os eventos emocionantes de comemoração das altas hospitalares daqueles que venceram a doença, crachás com fotos dos profissionais para que os pacientes pudessem conhecer quem estava por trás das máscaras, os murais de mensagens, que permitiram que os pacientes e a população agradecessem o atendimento prestado pelos profissionais de saúde nesse período.

Todas essas iniciativas e muitas outras – e seus impactos e desdobramentos – serão debatidas pela Pró-Saúde durante o 1º Encontro de Humanização, entre os 15 e 16 de setembro. Com o tema ‘A sensibilidade humana que se transforma em esperança’, o evento terá de especialistas da instituição e, principalmente, relatos de profissionais que vivenciam toda essa experiência de perto.

O objetivo do encontro é permitir que as unidades de saúde e os Centros de Educação Infantil (CEIs), gerenciados pela instituição filantrópica com mais de 50 anos de história, compartilhem como suas ações e projetos de humanização foram essenciais neste momento desafiador da pandemia da Covid-19, proporcionando ainda mais acolhimento e esperança.

Perto de completar dois anos, é possível afirmar que a pandemia reforçou a importância de uma prática que já vinha crescendo no ambiente hospitalar: a humanização do atendimento.

As iniciativas citadas acima fazem parte de uma extensa lista de projetos implantados nas unidades gerenciadas pela Pró-Saúde, que visaram amenizar a dor e o sofrimento de quem lutou contra a Covid-19. Um contexto de ações que, junto com outras abordagens, serão debatidas no 1º Encontro de Humanização.

“Promover esse encontro traz um recado muito importante. As ações de humanização impactam diretamente a vida não só dos pacientes e familiares, mas dos profissionais que acompanham de perto esse momento de luta”, ressalta Regina Victorino, superintendente corporativa de Filantropia da Pró-Saúde.

Regina acrescenta que a entidade tem entre seus valores institucionais a humanização. “Esse é um dos nossos valores, por isso, as unidades gerenciadas desenvolvem diversas ações voltadas para o cuidado centrado no paciente e na individualização do atendimento, fortalecendo os vínculos entre usuários e colaboradores”, acrescentou.

A entidade realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente, realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 10 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

Para assistir gratuitamente às lives, que serão transmitidas pelo Microsoft Teams, clique nos temas de cada um dos dias:  

Dia 15/9: 9h – A Estrutura de Governança da Humanização como um valor institucional – Regina Victorino, superintendente corporativa de Filantropia

9h30 Relatos: Apresentação das Práticas de Humanização – unidades de saúde administradas pela Pró-Saúde – Responsáveis pelas Comissões de Humanização

Dia 16/9: 9h10 – A importância da Humanização sob a ótica da assistência e o impacto na experiência do cliente – Dr. Fernando Paragó, diretor corporativo Médico

9h20 – Relatos: Apresentação das Práticas de Humanização – unidades de saúde e de educação administradas pela Pró-Saúde – Responsáveis pelas Comissões de Humanização e coordenadoras educacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.