A interoperabilidade na transformação digital da saúde

A Pixeon, empresa brasileira consolidada no mercado de tecnologia pelo seu amplo portfólio de soluções de softwares para a área da saúde e especialista no mercado de healthtech no Brasil, tem como objetivo possibilitar a transformação digital da saúde para melhorar a qualidade de vida de populações de várias regiões do país, garantindo a melhor experiência para o paciente dentro de clínicas, laboratórios e hospitais.

As soluções procuram desde ajudar a equipe médica, com otimizações de um processo inteiro de trabalho, como ajudar os pacientes, diminuindo o tempo de espera, o deslocamento e trazendo economia. Exemplo disso, é a utilização de Inteligência Artificial em apoio ao diagnóstico de diversas doenças, auxiliando no reconhecimento de padrões e análises de milhares de dados.

“A Pixeon quer trabalhar com a saúde da melhor maneira possível, de forma mais eficiente, tecnológica e inovadora. Com soluções que envolvem Inteligência Artificial e interoperabilidade entre sistemas, procuramos impactar positivamente o atendimento ao paciente, para garantir uma dedicação maior à população e humanizar esse processo nas etapas necessárias”, comenta o CEO, Felipe Clemente.

A interoperabilidade entre sistemas pode ser definida como a capacidade de um sistema em se comunicar com outros, para solucionar alguns dos principais problemas do cotidiano da área de saúde, como: ruído no fluxo interno de comunicação, má gestão dos processos e falha em agendamentos. Gerando assim, eficiência dentro da empresa, laboratório ou hospital e possibilitando a chamada “operação integrada”. Porém, essas soluções digitais têm encontrado obstáculos na comunidade médica, fato que tem mudado com a pandemia e com a necessidade de processos mais tecnológicos e eficientes.

“A saúde digital tem possibilitado o acesso a uma medicina de qualidade fora dos centros médicos, com teleconsultas com especialistas sem a necessidade de grandes deslocamentos e um aumento na capacidade do atendimento. Entendemos que a digitalização da saúde e essa transformação é um caminho sem volta, com muitos benefícios. Ela torna possível que populações de regiões onde o modelo tradicional de medicina é, praticamente, impossível, tenham consultas com bons profissionais e no mesmo nível de moradores de grandes metrópoles”, comenta o Diretor de Transformação Digital na Pixeon, André Gentil.

Os impactos dessa transformação digital podem ser vistos, diretamente, na saúde populacional e resultam em redução de custos, maior agilidade nos processos, no contato com o paciente e na redução de erros dos diagnósticos, ajudando em tratamentos e prevenções de doenças, trazendo proximidade com a população a um custo viável, beneficiando ambos os lados.

“A transformação digital vem como um passo de acesso à saúde e isso é fundamental. Vejo essa transformação na saúde como um grande catalisador de acesso a coisas que são básicas, mas algumas pessoas não têm. Saúde no Brasil é algo muito caro, porque existe um custo por trás. Com a aplicação da IA e de tecnologias de gestão eficientes, que evitam desperdícios e perdas, é possível torná-la mais barata e assim facilitar o acesso de mais pessoas”, conclui Gentil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.