Estudo com nova vacina contra Covid-19 amplia vagas para voluntários priorizando tabagistas

O Instituto de Pesquisa do Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), está selecionando voluntários tabagistas para participar do estudo internacional sobre nova vacina contra a Covid-19. Esta é uma nova etapa dos testes clínicos que tem como objetivo avaliar a capacidade do imunizante, chamado de CoVLP e produzido pela Medicago R&D Inc. em conjunto com GlaxoSmithKline, de produzir anticorpos e prevenir contra a doença.

Desde o início do estudo, estão sendo selecionados voluntários com 18 anos ou mais e que atendem aos requisitos necessários. A prioridade é para tabagistas, mesmo sem doenças associadas, pois integram um grupo de risco aumentado de complicações pela Covid-19. O objetivo é avaliar melhor qual o impacto da vacina nesse público, especialmente naqueles que consomem mais de 20 cigarros por dia.

Recrutamento ampliado

Além das 500 vagas para voluntários abertas desde o início do recrutamento para os testes clínicos, os laboratórios ampliaram o estudo no Hospital Moinhos de Vento em mais 500 vagas. Podem participar da pesquisa pessoas com mais de 18 anos e, preferencialmente com menos de 30 anos de idade, que não devem entrar no cronograma de vacinação nos próximos meses.

O cadastramento dos interessados não garante a inclusão no estudo, que só é efetivada no dia da primeira consulta, quando todos os critérios de elegibilidade estiverem revisados pela equipe de pesquisa. Os voluntários são sorteados por um sistema informatizado para tomar a vacina ou placebo e, se constatada a eficácia, todos receberão a vacina. Inscrições, informações detalhadas sobre o estudo e critérios para participar estão disponíveis no site www.participevacinacovid19.com.

No mundo, serão recrutados 30 mil participantes na Europa, na América Latina, Estados Unidos e Canadá.

A vacina

O imunizante CoVLP está em fase de testes no Brasil e já teve o ensaio clínico aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). O Hospital Moinhos de Vento, através do Instituto de Pesquisa, estuda a capacidade do imunizante de produzir anticorpos e de prevenir contra a doença.

A vacina em teste é desenvolvida com partículas que são semelhantes ao vírus Sars-CoV-2, chamadas de VLPs (do inglês, viral-like particles). Porém, elas não são infecciosas, pois não contêm material genético viral. Essas VLPs foram inseridas na planta Nicotiana benthamiana —  utilizada para produzir a vacina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.