ANCP e CREMEPE realizarão Simpósio digital no Dia Mundial dos Cuidados Paliativos

31

Em celebração ao Dia Mundial dos Cuidados Paliativos, que este ano tem em sua campanha o tema “Meu Cuidado, Meu Conforto”, a Câmara Temática de Cuidados Paliativos do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (CREMEPE) em parceria com a Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP) realizarão no dia 10 de outubro, “Simpósio de Cuidados Paliativos – Meu Cuidado, Meu Conforto” no formato digital terá divulgação pelos canais das duas instituições na redes sociais. A transmissão terá início às 9h e contará com a participação de alguns dos mais renomados especialistas em Cuidados Paliativos de nosso país.

Dando início ao simpósio, o médico paliativista e presidente da ANCP, André Filipe Junqueira, e a médica paliativista e coordenadora da Câmara Temática de Cuidados Paliativos do CREMEPE, Zilda Cavalcanti, discutirão sobre o tema “Cuidados Paliativos: Dignidade e Conforto”. Abordando o tema “A compaixão como ferramenta do conforto”, o enfermeiro paliativista, membro e pesquisador voluntário do Grupo de Estudo e Pesquisa em Cuidados Paliativos da ENSP FIOCRUZ e do Observatório português em Cuidados Paliativos, e membro do Comitê de Cuidados Paliativos do Coren-MG, Alexandre Silva, e a fisioterapeuta, membro da Câmara Temática de Cuidados Paliativos do CREMEPE e secretária do Comitê de Fisioterapia da ANCP, Nahãmi Cruz de Lucena. E a advogada e coordenadora do comitê de Bioética da ANCP, Luciana Dadalto, e o advogado e membro da câmara de Bioética CREMEPE, Vinícius Calado palestrando sobre “Minha autonomia, meu cuidado e meu conforto”

Ao final de cada palestra, os especialistas atenderão às dúvidas enviadas pelos espectadores durante as apresentações do simpósio. O tema da campanha “Meu Cuidado, Meu Conforto”, escolhido pela The Worldwide Hospice Palliative Care Alliance (WHPCA), organização internacional não governamental que se concentra no desenvolvimento dos Cuidados Paliativos e Hospices no mundo, visa chamar atenção para todas as pessoas que foram afetadas por uma doença que limita a vida, seja pessoalmente ou apoiando um ente querido. E desta forma chamar atenção da sociedade para a necessidade de priorizar políticas e serviços de Cuidados Paliativos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

2 × dois =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.