Artigo – Na luta em favor da saúde vocal

Em 1999, eu estava principiando meu segundo ano de Residência Médica em Otorrinolaringologia na Santa Casa de Porto Alegre (RS). Na época, surgiu nesse meio a preocupação em torno da alta incidência de câncer de laringe na população brasileira, e a percepção de que o leigo pouco conhecia sobre seu diagnóstico e prevenção.

O professor Nédio Steffen, da PUC, era o presidente da Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV). Com o engajamento de nossos professores da Santa Casa e nos serviços de todo o Brasil, fomos convidados a participar da Primeira Campanha Nacional da Voz. Num fenômeno ímpar e muito bem orquestrado, diversos serviços e profissionais da Otorrinolaringologia se envolveram nas ações educativas e de triagem diagnóstica.

Fazíamos laringoscopias gratuitas, com fichas distribuídas nos locais públicos onde íamos divulgar a campanha. A ação alcançou em torno de 40 mil pessoas atendidas em todo o Brasil. Aquela especialidade de nome esquisito começava, então, a ser mais conhecida pela boa vontade em divulgar cuidados com a voz.

O ineditismo da campanha e a competência da otorrinolaringologia brasileira em aderir e divulgar suas ações foram incrementadas até que em 2003 o dia 16 de abril ficou marcado como o Dia Mundial da Voz, mediante parcerias com entidades internacionais, para chegar também a outros países.

Neste emblemático 2021, uma pandemia mundial tem adoecido o aparelho vocal de milhares de pessoas, vítimas de sequelas de uma intubação prolongada para tratamento de Síndrome Respiratória Aguda Grave por Covid-19.

A atenção da campanha deste ano se volta ao seu princípio: lembrar a todos que, apesar dessa pandemia, existem outras doenças que não podem ser esquecidas, e cujo diagnóstico e tratamento também não podem ser postergados. Neste ano, nos cabe voltar a lembrar do câncer de laringe como uma meta diagnóstica e preventiva.

Que essa seja a oportunidade de criarmos um canal de comunicação com a população, lembrando que os otorrinolaringologistas e os fonoaudiólogos são os profissionais que trabalham em conjunto, a fim de diagnosticar e tratar as patologias vocais. Espero que nos anos vindouros possamos novamente comemorar esse dia, que se tornou símbolo mundial da luta a favor da saúde vocal, mais próximos e unidos em um só voz, a qual não seja calada por nenhum vírus que impeça nossa liberdade e nossa paz.

Daniela Boeira da Silva é coordenadora do Ambulatório de Otorrinolaringologia do Hospital Dona Helena, de Joinville (SC)

1 COMENTÁRIO

  1. Doutora Daniela Boeira é excelente profissional, ama o que faz e isso faz toda diferença. Não só aqui neste belíssimo artigo, mas também em seu consultório, sempre preocupada com todo o contexto e não somente com o problema de cada paciente. Parabéns Dra.!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.