Auriculoterapia é considerada uma das carreiras do futuro

Quando falamos em carreiras do futuro, normalmente pensamos nas áreas de Tecnologia e Comunicação, estando sempre uma atrelada à outra. Em outros casos, o setor de finanças e de investimentos também ganha destaque. Mas, na área da Saúde, é difícil pensar em uma profissão que dê estabilidade, rentabilidade e flexibilidade para profissionais que não sejam, necessariamente, formados.

É nesse contexto que a auriculoterapia tem atraído cada vez mais pessoas de diferentes formações. A técnica, inclusive, está presente desde 2006 no Sistema Único de Saúde (SUS), por meio das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Pics), que são reconhecidas pela OMS.

A especialista em Acupuntura e docente na área de Auriculoterapia, Lirane Suliano, explica os motivos desse recente fenômeno. Segundo ela, por ser considerado um curso livre, qualquer pessoa maior de 18 anos pode ter uma formação profissional em Auriculoterapia, mesmo que ela não atue na área da Saúde. Outro fator decisivo é o investimento na formação.

“Se comparado a outras profissões, o investimento para iniciar na auriculoterapia é muito baixo, o que torna a técnica ainda mais interessante. Além disso, os atendimentos, respeitando as normas de biossegurança, podem acontecer em domicílio, ou seja, dá para iniciar sem precisar alugar uma sala comercial ou abrir um empreendimento”, explica a especialista.

A técnica também tem chamado a atenção de profissionais da saúde que buscam ampliar seus tratamentos, além, é claro, daqueles que a utilizam para complementar seus atendimentos, por não poderem prescrever medicamentos. Esse é o caso de nutricionistas e psicólogos, que podem melhorar o sono ou a constipação de seus pacientes, quadros clínicos muito comuns para esses profissionais.

Existem ainda aqueles que encontram na auriculoterapia uma alternativa para abandonar as jornadas exaustivas, e nem sempre bem remuneradas, a que estão expostos em clínicas e hospitais. Exemplo disso são os profissionais de enfermagem, segundo Lirane Suliano. “A pandemia impôs aos profissionais de Saúde um grande desgaste físico e mental. O crescimento dos casos de Burnout demonstra isso. Além da rotina cansativa, muitos não se sentem reconhecidos profissionalmente e financeiramente, recebendo salários que não atingem R$ 2.000 mensais, por exemplo. Tenho alunas enfermeiras e técnicas de enfermagem que passaram a ganhar duas vezes mais trabalhando com a auriculoterapia”, explica a especialista.

Segundo Lirane Suliano, ao concluir o curso, o profissional costuma cobrar entre R$ 50,00 e R$ 230,00, por sessão. O valor varia de acordo com a estrutura oferecida pelo auriculoterapeuta, a região em que atende e o perfil de seus clientes. “Nas minhas aulas demonstro que, atendendo apenas 4 pacientes por dia, de segunda a sábado, e cobrando R$ 60,00 a sessão, é possível ganhar R$ 5.760,00 no final do mês. Quantos profissionais ganham esse valor por mês com uma carga horária de quatro horas por dia?”, avalia a especialista.

Diante dessa possibilidade de ganhos e com um baixo custo inicial, é possível para o profissional recuperar o investimento da sua formação em cerca de três meses. E é em meio a esse cenário que a auriculoterapia tem se tornado cada vez mais atrativa para os brasileiros.

1 COMENTÁRIO

  1. Auriculoterapia é uma excelente técnica, onde eu consigo manter minha casa e minha família 🙏

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.