Campanha Outubro Rosa da Pró-Saúde empodera pessoas e leva didatismo às redes sociais

42
Profissional registra pergunta de paciente do Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém (PA), para a campanha Outubro Rosa. Foto: Ascom Pró-Saúde

O câncer de mama é o tipo que mais mata mulheres no Brasil. Um caminho eficiente para reduzir as mortes e evitar que brasileiras fiquem doentes, é a dupla prevenção e diagnóstico precoce.

A prevenção foca em dicas de saúde que buscam evitar que as pessoas desenvolvam câncer. A detecção precoce busca saber, o quanto antes, se a doença já existe — aumentando as chances de cura.

Se a solução eficiente para evitar a doença ou aumentar as chances de cura é de conhecimento da maioria das pessoas, por que, então, a taxa de mortalidade do câncer de mama no Brasil não para de crescer, conforme mostra o Instituto Nacional de Câncer (INCA)?

“A conscientização de que é preciso ter hábitos de vida saudáveis e realizar todos os anos o autoexame preventivo e a mamografia ainda têm pouca adesão entre as mulheres brasileiras”, observa Fernando Paragó, diretor corporativo Médico da Pró-Saúde.

Diante desse contexto, a Pró-Saúde, uma das maiores entidades filantrópicas de gestão hospitalar do país, decidiu mudar o foco de sua campanha anual do Outubro Rosa.

“A proposta da campanha deste ano é enxergar o problema com os olhos dos pacientes, entender suas dúvidas e angústias neste processo de adesão à prevenção. Por isso, gravamos com um celular pessoas fazendo perguntas sobre o câncer de mama e pedimos para que médicos respondessem às dúvidas”, explicou Paragó.

A ideia é levar os questionamentos do público a sério e responder as questões de forma didática, empoderando as pessoas com informação. “Em cada região do país há diferentes crenças populares. Com a atuação nacional da entidade, precisamos considerar as questões regionais e passar informações de forma clara. Por isso, escolhemos o formato de vídeo, que é rápido e de fácil entendimento”, complementa o diretor.

O conteúdo da campanha será compartilhado nas redes sociais da entidade, como Facebook, Instagram e Youtube, ao longo do mês.

A estratégia tem motivo específico. Os usuários de redes sociais não param de crescer e a maioria acessa seus perfis pelo celular.

O Brasil é o país que mais tem pessoas conectadas nas redes, entre os seus vizinhos latino-americanos — conforme estudo realizado em 2019 pela ComScore, a gigante mundial que analisa dados da internet. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que 98% dos acessos à internet são feitos pelo celular.

Ou seja, “qualquer campanha que busque alcançar o grande público precisa estar nas redes sociais”, acrescenta Paragó.

Internamente, a campanha da Pró-Saúde chegará em todos os 28 hospitais que entidade filantrópica gerencia em 12 estados brasileiros — são 16 mil colaboradores e 1,1 milhão de pessoas atendidas mensalmente.

Entenda a doença

O câncer de mama surge a partir da multiplicação desordenada de células da mama, que podem ocorrer por questões hereditárias ou espontâneas. Durante esse processo, células anormais são geradas pelo organismo e, com a multiplicação celular, formam um tumor. Existem vários tipos de câncer de mama, logo, a doença pode evoluir de diferentes formas.  

“Quando falamos em câncer de mama, identificamos três principais fases: prevenção, diagnóstico e tratamento”, resume Marcos Fortes, Chefe do Serviço de Cirurgia Oncológica do Hospital Regional do Baixo Amazonas, administrado pela Pró-Saúde e um dos dez melhores Hospitais Públicos do País, segundo a revista Exame.

Segundo ele, cada mulher se encaixa em uma delas e precisamos atender às necessidades de cada um desses grupos. “Cada mulher, ou até mesmo homem, tem dúvidas diferentes sobre o câncer de mama, de acordo com a fase em que se encontra. Por isso, é importante ouvir as pessoas e levar informações corretas e acessíveis”, acrescenta o médico.

O Outubro Rosa é o movimento mundial dedicado à conscientização sobre o câncer de mama. Tem como objetivo principal o compartilhamento de informações sobre a doença, além de estimular o acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuindo para a redução da mortalidade.

As ações da Pró-Saúde terão continuidade no mês seguinte, com a campanha Novembro Azul — e serão voltadas para a conscientização, prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

9 + dezenove =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.