Campanha ‘Uma Dose de Respeito’ pede vacinação urgente para pessoas com síndrome de Down

Lançada neste mês de março, a campanha ‘Uma Dose de Respeito’ é uma iniciativa da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down junto às 38 instituições associadas, em busca da priorização da vacinação para as pessoas com síndrome de Down (T21). O reconhecimento da urgência já foi feito em outros países. Por isso, a campanha brasileira ganhou apoio de organizações internacionais, como a Down Syndrome International, a Disabled People’s Organisations Denmark e a UKaid.

O objetivo da campanha é pressionar o governo em todas as suas esferas: federal, distrital, estaduais, e municipais, para que as pessoas com síndrome de Down (T21) sejam vacinadas de imediato, levando em consideração a vulnerabilidade, o risco de contaminação, a baixa imunidade e probabilidade de desenvolver uma forma grave de Covid-19.

No cenário atual, mesmo estando no grupo prioritário, as pessoas com síndrome de Down (T21) só serão vacinadas na 3ª fase do Programa Nacional de Imunizações (PNI), junto ao grupo de pessoas com comorbidades. Essa priorização já está prevista em lei e o que está sendo reivindicado é que ela seja cumprida.c A Lei Brasileira de Inclusão assegura que, em situações de risco, emergência ou estado de calamidade pública, a pessoa com deficiência será considerada vulnerável, devendo o poder público adotar medidas para sua proteção e segurança.

Há estudos científicos que comprovam essa necessidade, como explica a Dra. Ana Claudia Brandão, membro do Comitê Técnico Científico da Federação Brasileira das Associações de síndrome de Down: “O estudo da T21 Research Society, que é uma iniciativa colaborativa e internacional e da qual o Brasil também participa, publicado neste mês na revista The Lancet’s E Clinical Medicine, até o momento avaliou o maior número de casos de Covid-19 em pessoas com SD (mais de 1.000). Esse estudo também revelou que em adultos com SD, o curso da infecção é mais grave e que as taxas de complicações e mortalidade são significativamente mais elevadas do que na população geral.

Muitos países já aderiram à priorização da vacinação para pessoas com síndrome de Down (T21) junto com o grupo de idosos: os do Reino Unido, Holanda, Alemanha, França, Portugal, Itália e em alguns estados dos Estados Unidos. No Brasil, a aderência é pouca e por isso a campanha é tão importante. O Piauí deu a largada em 21/3 e começou a vacinação em pessoas com deficiência. No Mato Grosso do Sul, a imunização para o segmento está acontecendo em Sidrolândia, Jardim e Campo Grande.

Para ampliar ainda mais esse movimento, a Federação Down convida toda a população, a imprensa e demais instituições para se juntarem a nós e reforçar o pedido de priorização da vacinação às pessoas com síndrome de Down (T21) contra a Covid-19. Para participar basta usar a hashtag #UmaDoseDeRespeito nas redes sociais, em publicações e também nas páginas oficiais dos governos e secretarias de saúde. Assine o abaixo-assinado bit.ly/2PpUiuy e acesse o site www.federacaodown.org.br. Conheça toda a campanha e participe. A saúde das pessoas com síndrome de Down (T21) pede urgência!

Estudos e reportagens com comprovação científica:

Um estudo feito em 2020, no Reino Unido, que acompanhou mais de quatro mil pessoas com Síndrome de Down, indicou que pacientes com Síndrome de Down (trissomia 21) têm até cinco vezes mais chances de serem hospitalizados e 10 vezes mais chances de morrer, se infectados pelo novo Coronavírus .

Fonte: Sciencemag.org, da American Association for the Advancement of Science

Covid-19: SBP alerta para maior risco de hospitalização e morte de pessoas com Síndrome de Down

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria

“O impacto devastador da covid-19 em pessoas com deficiência intelectual”

Fonte: The New England Journal of Medicine – Massachusetts Medical Society

Grupo de Interesse Médico sobre Síndrome de Down dos EUA

Fonte: Down Syndrome Affiliates in Action, GiGi’s Playhouse, International Mosaic Down Syndrome Association, Jerome Lejeune Foundation, T21 Research Society

Risco de mortalidade Covid-19 na síndrome de Down: resultados de um estudo com 8 milhões de adultos

Fonte: Annals of Internal Medicine

Covid-19 é dez vezes mais letal em pessoas com síndrome de Down, indica estudo

Fonte: Revista Superinteressante

Síndrome de Down e Covid-19 – Perguntas e respostas

Fonte: Movimento Down

Vídeos

A Dra. Ana Claudia Brandão, que participa do estudo internacional sobre Covid e pessoas com síndrome de Down (T21), falou sobre o assunto no VII Encontro Atenção à Trissomia 21. Assista a partir de 1h 14′:

Explicação da geneticista Dafne Horovitz, pesquisadora da Fiocruz neste vídeo www.facebook.com/watch/?v=213617110508191

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.