Com retomada das consultas e cirurgias eletivas, hospital tem novas medidas para proteger pacientes

167

Desde a declaração de estado de pandemia feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no início do mês de março, os atendimentos eletivos – aqueles que não são considerados de emergência – foram suspensos por tempo indeterminado em todo o país. A medida impactou as instituições de saúde, bem como a qualidade de vida de milhares de pessoas que interromperam tratamentos ou precisaram adiar suas cirurgias.

Diante deste cenário, tornou-se essencial repensar o atendimento à população, principalmente a pacientes cardíacos, oncológicos e portadores das mais diversas doenças. Pensando nisso, o Hospital São Camilo fez rigorosas adaptações, com atenção especial à segurança do paciente, para a retomada de exames, consultas e cirurgias eletivas.

As medidas foram tomadas com base em orientações do Ministério da Saúde e validadas pelos setores de SCIH (Serviço de Controle de Infecção Hospitalar) e de Qualidade da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, cuja reconhecida busca pela excelência assistencial segue critérios internacionais e já levou a Instituição à conquista de importantes certificações, como as Acreditações Joint Commission, Himss e Qmentum Diamante.

“Começamos a colocar em prática uma série de ações com o objetivo de voltar a dar assistência às demais comorbidades que afetam a vida dos pacientes, sobretudo daqueles que dependem de uma melhora de suas condições para ter mais qualidade de vida”, comenta o Dr. Fabio Kawamura, diretor da Unidade Pompeia da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Foram estabelecidos novos fluxos, isolando os espaços de atendimento aos casos suspeitos e confirmados de Covid-19 das demais áreas, desde a entrada até a saída do Hospital.

Dr. Fábio esclarece que, antes de entrar no prédio, todos os pacientes são triados no intuito de identificar sintomas ou histórico suspeito, com direcionamento ao serviço de urgência, quando necessário.

Além disso, as consultas do Centro Médico são realizadas a cada 30 minutos. Ao entrar no Hospital, os pacientes recebem máscaras descartáveis e são orientados, através de sinalizações, a manter distanciamento social nas áreas de espera e elevadores.

Já para os casos cirúrgicos, a diretora da Unidade Santana, Dra. Fernanda Fontanezi, ressalta que a decisão seguirá, em cada caso, de acordo com o alinhamento entre o médico e o paciente, priorizando sua saúde e segurança em todas as etapas do processo.

Pré-cirurgia

Faz parte das medidas de segurança a realização do teste para Covid-19 antes de qualquer cirurgia. Segundo informam os diretores, os pacientes realizam a coleta de PCR-COVID 72 horas antes do procedimento.

“Esses pacientes entram no fluxo prioritário em relação à coleta do exame, tendo seu laudo liberado até 24 horas, período em que ele aguardará em casa, sendo acompanhado via telemedicina”, esclarecem.

Segundo os especialistas, caso o paciente teste positivo para Covid-19, a cirurgia não será realizada. Nesses casos, se estiver assintomático, é feita a orientação de isolamento domiciliar, sem contato com outras pessoas.

“Em caso de resultado negativo, a cirurgia estará liberada e seguirá os fluxos de segurança previamente estipulados”, detalha a Dra. Fernanda.

Durante a cirurgia

Seguindo o plano de contingência criado exclusivamente para atendimento ao Covid-19, o Hospital São Camilo já conta com fluxos estruturados para a entrada de pacientes e pré-triagem. Esses fluxos não permitem que os pacientes tenham contato dentro do hospital, a fim de se evitar a transmissão cruzada.

Além disso, a Rede disponibiliza aos pacientes quartos para internação exclusiva, mesmo que o plano de saúde dê direito apenas à enfermaria, aumentando assim a segurança de todos que precisam estar no local durante o período do procedimento.

Esse cuidado se mantém durante todo o tempo em que o paciente se encontrar no Hospital e é válido para todas as Unidades da Rede – Pompeia, Santana e Ipiranga.

Além dos elevadores específicos, o centro cirúrgico foi adaptado com barreiras a fim de evitar o cruzamento de fluxos entre pacientes.

“Caso o paciente necessite, foram designadas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) apartadas daqueles que estão internados com Covid-19”, frisa a médica.

Orientações sobre acompanhantes

Será permitida a entrada de um acompanhante seguindo alguns critérios para garantir a segurança de todos, conforme abaixo:

– O acompanhante não pode ser do grupo de risco (idosos e portadores de doenças crônicas);
– Deve estar sem sintomas de gripe ou febre, passando pela triagem para medição da temperatura e verificação de sintomas;
– Deverá permanecer com a máscara de proteção recebida ao chegar e seguir as demais medidas de prevenção orientadas pelo Hospital;
– Não deverá circular pelos corredores do hospital – as refeições serão entregues pelo serviço de nutrição dentro do quarto.

Vale frisar que, durante o processo cirúrgico, o acompanhante receberá informações sobre o status do paciente por meio do ramal telefônico do quarto.

Todas essas medidas são seguidas rigorosamente para garantir que os pacientes recebam o atendimento que necessitam em segurança. Por isso, são também realizadas todas as boas práticas de higiene orientadas pelo SCIH entre as consultas, em todos os ambientes, objetos e equipamentos do hospital, e após a saída dos pacientes dos consultórios, leitos e salas cirúrgicas.

“Nós entendemos que essa retomada deve ser cuidadosa e responsável para que possamos continuar atuando em prol da saúde de todos, sem deixar de assistir àqueles que mais necessitam neste momento delicado”, finaliza o Dr. Fábio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

2 × 4 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.