Digitalização de contratos aumenta eficiência no segmento de saúde

513

As operadoras de planos de saúde estão modernizando seus processos para lidar de modo mais eficiente com o grande volume diário de documentos. A Unimed Presidente Prudente (SP), uma das principais instituições do setor, migrou o processo de formalização de contratos com beneficiários para o digital por meio da assinatura eletrônica e o Portal de Assinaturas.

A mudança resultou em imediata diminuição do tempo necessário para a formalização desses documentos, mais segurança e redução de custos, conforme explica Alisson Kuhn, gerente de Qualidade e TI da Unimed Presidente Prudente.

“Com a adoção da assinatura eletrônica, o beneficiário assina seu contrato conosco por meio da tela de um tablet. Tal mudança impactou positivamente todas as áreas envolvidas no processo e melhorou a eficiência operacional. A tramitação desse documento levava, em média, 15 dias até ser finalizada. Agora, o processo é concluído em poucas horas e o cliente pode consultar o contrato sempre que precisar de modo on-line, proporcionando mais comodidade e, por consequência, a satisfação em relação aos nossos serviços desde o primeiro contato”.

A implantação desta tecnologia também gerou economia para a operadora de saúde, que reduziu em cerca de 80% os custos relacionados ao processo anterior que exigia papel, impressão, armazenamento físico do documento, entre outras etapas.

Outros benefícios importantes são a segurança, já que documentos eletrônicos são rastreáveis e mais facilmente passíveis de auditoria e a preservação do meio ambiente, uma vez que não há uso do papel.

Assinatura eletrônica

Leonardo Gonçalves, diretor comercial da Certisign, empresa especializada em identificação digital e desenvolvedora da tecnologia utilizada pela Unimed Presidente Prudente, explica que “a assinatura eletrônica tem valor legal, é gerada a partir da grafia de uma assinatura na tela de um dispositivo (computador, celular e tablet) e tem eficácia probatória de acordo com as evidências colhidas, como a geolocalização, voz, imagem, entre outros critérios.”.

A funcionalidade, que permite validar documentos por meio da assinatura eletrônica, pode ser integrada em sistemas novos ou legados, por meio de uma Application Programming Interface (API), sem interferir na infraestrutura tecnológica do sistema já existente e sem exigir grandes investimentos. “Há também a opção de usar essa aplicação diretamente na plataforma da Certisign. Neste caso, não é preciso integrar nenhuma API no sistema da operadora. Basta acessar portaldeassinaturas.com.br, definir o fluxo e realizar a assinatura”, finaliza Gonçalves.

Deixe seu comentário