É preciso diagnosticar precocemente a doença renal crônica

A doença renal crônica (DRC) é um problema global de saúde pública, com índices crescentes em diversos países, incluindo o Brasil1. Desde 2006, é celebrado o Dia Mundial do Rim toda segunda quinta-feira do mês de março. A data foi idealizada em conjunto pela Sociedade Internacional de Nefrologia2 e pela Federação Internacional de Fundações do Rim com o objetivo de chamar a atenção para as injúrias renais e reduzir o impacto da DRC no mundo. A ampliação do diagnóstico e a conscientização da população e da classe médica são importantes tópicos da edição de 2022, que tem como tema “Saúde dos rins para todos: educando sobre a doença renal”3.

Brasil dispara em número de casos

Nos últimos anos, a data tomou grandes proporções e tem mobilizado todos os setores envolvidos. O médico nefrologista Rubens EP Lodi, Diretor Médico Latam da Nova Biomedical comenta que o Brasil é um dos países que mais se envolve com a data, por diversas características, como sua extensão, o imenso número de habitantes e pelas situações díspares extremas: “Os números de pacientes com DRC no Brasil são crescentes, pois está havendo rastreamento. A atenção primária no serviço de saúde, cada vez mais sofisticada, e a população envelhecendo sinalizam desenvolvimento. Estamos chegando em números parecidos com os países desenvolvidos, com um aumento de doença renal crônica na casa de 7-10% ao ano”, pontua.

Segundo estudo publicado no Jornal Brasileiro de Nefrologia, a incidência estimada de pessoas em diálise aumentou mais de 50% em uma década, e hoje o número de pacientes ultrapassa os 140 mil3,4. Lodi explica que a doença renal de modo geral é uma complicação tardia de doenças crônicas, como diabetes ou hipertensão, e quanto mais precoce o seu diagnóstico, maior a chance de controlar o avanço da doença: “É importante entender que a DRC não deve ser associada só à diálise, existem os outros estágios que podem ser controlados”.

De acordo com o nefrologista, todas as pessoas com uma função renal menor que 80-60% já se enquadram na categoria de doente renal. Os estágios da doença variam de 1 a 5, sendo que no quinto grau, a função renal está abaixo de 15%, fazendo com que o paciente precise de diálise.

O exame POC de creatinina e seu real valor

A avaliação da creatinina sérica, por consequência, da taxa de filtração glomerular é peça-chave em qualquer diretriz de manejo de pacientes com disfunção renal. É de fundamental importância na estratificação de risco, no manejo de drogas, na definição de prognóstico e na indicação de terapias dialíticas. Em resumo, em qualquer momento de tomada de decisão clínica, impactando inclusive o fluxo do paciente no sistema de saúde e seu custo. Lodi resume: “Os testes point-of-care, como os disponibilizados pela Nova Biomedical, têm o seu valor no momento em que é realizado, é o resultado confiável que eu preciso no momento que eu tenho que tomar a decisão necessária”.

Os medidores de creatinina capilar StatSensor® têm grande importância no contexto do Dia Mundial do Rim, prevenindo a Lesão Renal Aguda em diversas situações clínicas e diagnosticando pacientes com Doença Renal Crônica em até 30 segundos e apenas com uma microgota.

Referências:

  1. www.bjnephrology.org/en/article/doenca-renal-cronica-no-brasil-um-problema-de-saude-publica
  2. www.theisn.org
  3. www.sbn.org.br/dia-mundial-do-rim/dia-mundial-do-rim-2022/sobre
  4. www.bjnephrology.org/en/article/censo-brasileiro-de-dialise-analise-de-dados-da-decada-2009-2018
  5. www.novabiomedical.com/pt/statstrip-creatinine/index.php

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.