Estudo associa baixo nível de testosterona à causa da endometriose

Há anos a ciência tem estudado as possíveis causas da endometriose, uma doença que afeta até 10% das mulheres em idade fértil em todo o mundo de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde. Um novo estudo1 realizado pela Simon Fraser University (Canadá), publicado recentemente pelo jornal científico Evolution, Medicine, & Public Health, traz suposições importantes sobre a origem da doença, relacionando o hormônio testosterona ao desenvolvimento da endometriose.

A pesquisa aponta que as mulheres com a doença se desenvolveram em condições de testosterona relativamente baixa durante o período fetal em comparação com aquelas que não apresentam endometriose. Os pesquisadores consideram que o baixo nível do hormônio reflete diretamente no sistema reprodutivo das mulheres, que passa a manifestar os sinais da endometriose, como menarca precoce, ciclos menstruais curtos, alta sensibilidade à dor, inflamação e alteração dos hormônios da ovulação e ciclo menstrual.

“A descoberta do estudo vai impactar diretamente na forma de diagnosticar precocemente a doença, já que, atualmente, a identificação costuma ser por volta dos 30 anos de idade. Outra vantagem será o monitoramento do nível de testosterona durante a gravidez, que contribuirá para novas possibilidades de tratamento”, explica Helizabet Salomão, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Endometriose.

O avanço das pesquisas possibilita que o diagnóstico de endometriose e o tratamento hormonal ou medicamentoso sejam cada vez mais precoces. A cirurgia minimamente invasiva pode ser realizada por laparoscopia ou cirurgia robótica e é a opção terapêutica nos casos de endometriose profunda com acometimento dos compartimentos anterior e posterior da pelve, ovários, vagina e nervos pélvicos.

Raios X da endometriose

A endometriose é uma doença inflamatória causada pela presença de endométrio tópico (tecido dentro do útero) localizado fora da cavidade uterina, que pode ser na pelve ou até mesmo extra pélvico. A doença causa ainda alterações na anatomia da pelve e distúrbio na ovulação e é um dos principais fatores de infertilidade feminina. O tratamento varia de acordo com o quadro clínico de cada paciente. Deve-se ressaltar que o tratamento medicamentoso promove um alívio da dor causada pela endometriose e não o tratamento da doença propriamente dita. No caso de endometriose profunda, há uma melhora significativa com o tratamento cirúrgico, entretanto medicamentos como analgésicos, antiinflamatórios e alguns hormônios específicos fazem parte do arsenal terapêutico para a melhora clínica da dor.

Para saber mais sobre endometriose, sintomas e tratamentos, acesse www.jnjmedicaldevices.com/pt-br/condicao/endometriose.

Referências:

1 Dinsdale, Natalie; Nepomnaschy, Pablo; Crespi, Bernard. The evolutionary biology of endometriosis. 2021

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.