Estudo confirma eficácia de medicamento de dose única diária para tratamento de HIV

A GSK/ViiV Healthcare apresentou os dados de um novo estudo sobre a evolução do tratamento de pessoas vivendo com HIV na Conferência Internacional da Sociedade de Aids sobre Ciência do HIV 2021 (IAS 2021) e compartilhou os resultados em evento para a imprensa na última quarta-feira (21). Denominado SALSA, o estudo mostrou os resultados da mudança de tratamento antirretroviral atual para uma terapia inovadora composta da combinação de dois medicamentos (dolutegravir 50 mg e lamivudina 300 mg), quebrando o paradigma da necessidade de três medicamentos para o tratamento de adultos que vivem com HIV, com uma carga viral indetectável.1

Realizado durante 48 semanas com uma população diversificada de adultos com supressão virológica, o estudo comprovou a eficácia da terapia dupla de dolutegravir e lamivudina, onde nenhum caso de falha virológica e nenhum desenvolvimento de resistência ocorreu. A amostra da população incluiu mais de 120 locais na América do Norte, Europa, Ásia-Pacífico, América do Sul e África, e uma proporção significativa de participantes do sexo feminino (39%), participantes com 50 anos ou mais (39%) e participantes de diferentes origens raciais (59% branco; 19% preto; 14% asiático). No Brasil, o estudo teve 5 centros de pesquisas, envolvendo 39 pacientes brasileiros.1

“O SALSA trouxe uma população abrangente e diversificada, incluindo uma porcentagem significativa de mulheres, pessoas acima de 50 anos e de diferentes etnias. Com isso, conseguimos reunir uma amostragem mais real da população que vive com HIV e mostrar que elas podem manter a doença sob controle tomando menos medicamentos e não colocando a supressão viral em risco”, esclarece Kimberly Smith, Chefe de Pesquisa & Desenvolvimento da ViiV Healthcare.

Para Kimberly Smith, realizar o estudo Salsa em plena pandemia de Covid-19 foi desafiador. “Embora a pandemia tenha gerado um impacto significativo, a equipe e os pesquisadores juntaram esforços e conseguiram manter os estudos clínicos em andamento. Mandamos medicamentos para as casas dos pacientes, fizemos atendimentos onlines, e, um ano depois, estamos orgulhosos por estar conseguindo compartilhar esses dados, que são tão importantes e podem gerar grandes benefícios para as pessoas que vivem com HIV, como uma melhor adesão à terapia antirretroviral e ampliação da expectativa de vida”.

No Brasil, o Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde (DCCI), desde dezembro de 2019, considera a possibilidade de utilização de dolutegravir e lamivudina em comprimidos separados para pacientes virologicamente suprimidos desde que sigam os critérios estabelecidos pelo ofício circular número 48/2019.2

Referências:

1 ClinicalTrials.gov – Mudança de Regime para Dolutegravir/Lamivudine Combinação de dose fixa do regime antirretroviral atual em adultos infectados pelo HIV-1 e adultos virologicamente suprimidos (SALSA). Disponível em: clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT04021290. Acesso em: 21 de julho de 2021.

2 BRASIL. Ministério da saúde. Departamento de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Oficio Circular Nº 48/2019. Disponível em: www.aids.gov.br/pt-br/legislacao/oficio-circular-no-48

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.