Funcionários do Hospital São Vicente falam dos avanços conquistados com a ala revitalizada

442

Se a ambiência faz toda a diferença para os pacientes de um hospital, também muda completamente a rotina de quem trabalha e está diariamente no local. Essas são as impressões da equipe do Hospital São Vicente de Paulo (HSV), de Jundiaí (SP), que atua na Ala da Clínica Feminina, revitalizada recentemente, por meio do projeto “Acolha um Quarto, Conforte Vidas”.

“Foi tudo muito bem elaborado, não tem comparação com os antigos quartos. Propiciam bem-estar aos pacientes e também para quem trabalha aqui”, diz a técnica de enfermagem, Darci Geralda Martins, 37 anos, que trabalha há cinco no hospital. “Com as novas camas, há maior facilidade em movimentar os pacientes, conseguimos regular a altura e deixar mais baixo para quando precisam descer e colocá-los nas cadeiras. No banheiro, que possui barras de segurança, conseguimos melhorar a qualidade do banho, o paciente se apoia na barra e conseguimos cuidar melhor da higienização das costas e quadril”, cita.

A técnica de enfermagem relata que percebeu que os pacientes também ficaram mais calmos na ala nova. “Nos antigos quartos, principalmente as pessoas de mais idade, ficavam mais agitadas, o tempo parecia não passar. Agora os quartos possuem televisão e eles adoram assistir programas, percebo que isso tem contribuído para ficaram menos inquietos”, relata.

Outra funcionária do hospital que notou mudança de comportamento dos pacientes na ala nova, foi a auxiliar de limpeza, Rosana de Jesus Souza, 44 anos, que trabalha no HSV há oito. “As pessoas estão tendo um cuidado maior com os quartos, valorizando mais para não estragar. E isso é muito importante para manter o que foi feito”, afirma.

Rosana relata que o seu trabalho também ficou mais fácil. “Tinham muitas coisas antigas, que devido ao tempo de uso, eram mais difíceis de limpar. Agora, ficou tudo mais fácil, conseguimos limpar melhor e em menos tempo, tudo é novinho. Isso facilita a higiene e organização. É um incentivo para nós”, comenta com um largo sorriso.

Outra colaboradora que aprovou a nova Ala da Clínica Feminina foi a fisioterapeuta Thais Cristina Rossetto, 31 anos, nove deles dedicados ao hospital. Ela relata que os quartos ficaram muito bem distribuídos o que facilita muito o seu trabalho, já que envolve diretamente a assistência aos pacientes. “Os quartos são mais espaçosos, têm equipamentos novos que estão em perfeitas condições de uso, os leitos são mais seguros inclusive para pacientes sem acompanhante, os banheiros com barras permitem autonomia ao paciente, os leitos possuem bandeja individual permitindo que consigam fazer as refeições mesmo se não conseguem sustentá-las sobre as perna”, dispara ela sobre as vantagens.

Para a fisioterapeuta, que também atua em outros setores do hospital, o conjunto de equipamentos e infraestrutura dos novos quartos permite que ela desenvolva suas atividades com maior segurança. Além disso ela ressalta que a individualização dos leitos, separados por cortinas, foi outro detalhe bem pensado. “Favorece o atendimento individualizado, garantindo maior respeito ao paciente, sem que outras pessoas do quarto tenham conhecimento sobre seu tratamento”, lembra ela sobre este importante aspecto da humanização.

Em linhas gerais, todas as colaboradoras relataram um sentimento em comum em trabalhar no setor. Todas dizem se sentir mais motivadas. Thais vai além. “Também percebo uma resposta mais positiva e rápida ao tratamento dos pacientes que estão aqui. Processo que é um pouco mais lento nas outras áreas do hospital que ainda não receberam essa melhoria. Logo, 100% dos quartos serão como estes”, finaliza.

Deixe seu comentário