Hospital Adventista Silvestre alcança a marca de 600 transplantes de fígado

O Hospital Adventista Silvestre, no Cosme Velho, Rio de Janeiro (RJ), acaba de alcançar a marca de 600 transplantes de fígado em oito anos, um feito obtido por poucas instituições de saúde no mundo. Assim, o HAS se torna um dos três hospitais que mais realizam transplantes de fígado no Brasil e o que mais faz transplantes no Estado do Rio de Janeiro. Com 85% das cirurgias realizadas pelo SUS, a taxa de sucesso da equipe do Hospital Adventista Silvestre chega aos 87%.

Ao longo dos anos de trabalho, é possível destacar o pioneirismo do hospital na realização de transplantes duplos, transplantes em testemunhas de jeová, transplantes intervivos, além de um transplante realizado em um paciente que apresentava os órgãos internos invertidos, condição que atinge apenas 0,01% da população mundial. O paciente recebeu parte do fígado de seu filho em uma cirurgia única, a primeira realizada nessas condições em todo o continente americano. Além disso, a equipe já havia se destacado por, em um mesmo dia, realizar três captações e três transplantes de fígado no Hospital Silvestre.

Além dos transplantes intervivos, os pacientes, homens e mulheres vindos das cinco regiões do país – 20% dos transplantados são de fora do estado do Rio – receberam doações de pessoas que já faleceram e passaram por transplantes parciais ou totais. Segundo o cirurgião Eduardo Fernandes, Coordenador do Programa de Transplantes do Hospital Silvestre, a expectativa é manter a média de 100 transplantes anuais, consolidando a liderança no Estado. “É importante ressaltar que o Rio de Janeiro continua melhorando a captação de órgãos e registra também o aumento no número de doações, fatos que transformaram o Estado em referência nacional”, destaca o médico que coordena uma equipe de 20 pessoas, entre cirurgiões, hepatologistas e anestesistas.

É possível destacar na vitoriosa trajetória do Programa de Transplantes do Hospital Adventista Silvestre, reconhecido mundialmente, o centro de treinamento, onde ocorre a capacitação dos profissionais, e o processo de internacionalização, com a especialização dos profissionais brasileiros a partir do intercâmbio com algumas das mais importantes instituições do mundo, caso das universidades de Oslo (Noruega), Nebraska (EUA) e Santiago (Chile). “O Hospital Adventista Silvestre é atualmente uma grande escola, uma instituição reconhecida nacional e internacionalmente. Aqui nós formamos, qualificamos e investimos na especialização de cirurgiões, hepatologistas e anestesistas”, ressalta Fernandes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.