Hospital Alemão Oswaldo Cruz firma parceria com MedRoom para inovações em realidade virtual

492

Segmentos tradicionais – como a saúde – se voltam ao universo das startups para criarem produtos de impacto na vida de pacientes e profissionais. Sempre na vanguarda, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz acaba de firmar uma promissora parceria por meio de seu Centro de Inovação e Educação em Saúde com a MedRoom, edtech que usa VR e conceitos de gamificação no treinamento de universitários.

O hospital incorporara a realidade virtual da startup como mais um recurso educacional no processo de ensino e aprendizado de estudantes de cursos técnicos e tecnológicos, graduação e pós-graduação da área médica e multiprofissional de saúde.

A ferramenta passa a ser utilizada para a exploração do corpo humano em 3D em aulas de anatomia e fisiologia da Faculdade e Escola Técnica do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Com a MedRoom, são visualizadas com grande realismo todas as partes do ser humano sem a necessidade do uso de cadáveres. Além disso, a estrutura interna de cada órgão pode ser ampliada, sistemas e órgãos podem ser isolados e examinados de qualquer ângulo.

“A inovação é um dos pilares do Hospital, e a parceria e na incorporação da tecnologia exemplificam a busca da Instituição em trazer um leque de possibilidades para enriquecimento da experiência do aluno, aliada à tecnologia, e agora por meio de uma metodologia tão ativa, dinâmica e imersiva. Além de desenvolver a prática médica e de profissionais da saúde, a realidade virtual da MedRoom será aproveitada tanto para educação quanto para conteúdo e treinamentos”, explica o gerente de Inovação e Educação Médica do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Gustavo Faibischew Prado.

O hospital também visa a aumentar o acesso à realidade virtual da MedRoom por meio da produção conjunta de um escape game – jogo no qual o participante está imerso em um espaço e precisa solucionar charadas para sair – com temática de saúde.

“A realidade virtual ajuda na concentração, na visualização e no entendimento do corpo humano. Por isso, estamos muito animados de estar em um centro referência como o do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e com os produtos que iremos desenvolver futuramente com a Instituição. Pensamos, inclusive, em integrar nossa solução a consoles de videogame para ampliar o acesso de professores, alunos e profissionais da saúde ao produto”, afirma Vinícius Gusmão, cofundador e CEO da MedRoom.

A startup também está presente em outras sete faculdades brasileiras, além de duas no México e uma no Paraguai.