Hospital Alemão Oswaldo Cruz recebe selo de certificação da Women on Board

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz acaba de ser contemplado com o selo de certificação da Women on Board, iniciativa que visa reconhecer, valorizar ambientes corporativos com a presença de mulheres em conselhos de administração ou conselhos consultivos.

Dos 10 membros do Conselho Deliberativo do Hospital, duas são mulheres. “Sabemos que ainda há um caminho a ser trilhado para que mais mulheres ocupem o board e as posições de c-level, mas estamos dedicados a essa pauta, pois entendemos que a diversidade é necessária para garantir a perpetuidade e o legado da nossa organização”, afirma Weber Porto, presidente do Conselho Deliberativo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

O protagonismo feminino na liderança do Hospital está presente desde o início da sua história. Os primeiros recursos angariados para a criação da Instituição surgiram por conta da proatividade de um grupo de senhoras da colônia de língua alemã, que promoveu um bazar para arrecadar donativos para o Fundo Hospital Allemão. “Graças ao empenho e entusiasmo delas, novas pessoas aderiram a iniciativa e, poucas semanas depois, foi criada a Associação Hospital Allemão em 26 de setembro de 1897. Hoje, após o esforço de tantos podemos comemorar, em 2022, 125 anos dedicados a cuidar de vidas com humanidade e respeito”, afirma Porto.

Após esse marco, as mulheres continuaram exercendo um papel crucial na organização em posições estratégicas. Em 1913, a tesoureira Lehmann liderou a campanha de novos associados, conquistando a adesão de mais de 100 novos contribuintes anuais para a construção do hospital, que ficaria pronto apenas dez anos depois. Helena Zerrenner, esposa do primeiro presidente da organização, Anton Zerrenner, também foi responsável pela expansão da Instituição com a construção de um segundo pavimento em 1928. Com o término das obras, o hospital passou a ter 120 leitos.

Outro ponto marcante da liderança feminina está presente na assistência. Além de cuidar dos pacientes, as enfermeiras-chefes do hospital desempenhavam a função de chefe executivo, cadeira essa que até hoje é fixa na diretoria-executiva da Instituição.

Atualmente, cerca 66% dos colaboradores do Hospital Alemão Oswaldo Cruz são mulheres. Dentre elas, 74% estão em cargos de liderança, bem acima da média brasileira, que segundo dados de 2019, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) é 37,4%.

Para o diretor-presidente do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. José Marcelo de Oliveira, o trabalho desenvolvido pela Women on Board é fundamental para dar luz a boas práticas de valorização da diversidade, além de estimular que mais empresas se comprometam a desenvolver políticas que tornem a cultura corporativa mais inclusiva. “Pesquisa recente do Instituto Ipsos mostra que apenas 14% das organizações declaram adotar critério de equidade de gênero na nomeação de membros do conselho e somente 35% delas têm políticas específicas com esse foco. O papel da WOB é importantíssimo para mudarmos esse jogo de modo que, em um futuro breve, a cadeira número ‘um’ das empresas, independentemente do seu segmento, seja mais diversa e inclusiva”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.