Hospital Paulista de Otorrinolaringologia investe em equipamentos para diagnóstico de labirintite

Tontura, dificuldade para focar a visão e falta de equilíbrio são alguns dos sintomas de uma pessoa com suspeita de labirintite. Para que o diagnóstico correto seja realizado são necessários exames que – muitas vezes – causam ainda mais incômodo ao paciente. Por isso, o Hospital Paulista investe em tecnologias que aumentem o conforto do usuário como, por exemplo, os equipamentos V-hit e a Videonistagmografia Infravermelha.

O primeiro, segundo o médico Ricardo Dorigueto, oferece benefícios importantes ao paciente. “Ele é um teste novo que avalia o labirinto de uma forma mais confortável do que o exame tradicional, que tem mais de 100 anos e que consiste em jogar vento frio e morno próximo ao ouvido de quem passa pelo exame, fazendo com que o labirinto seja estimulado”.

De acordo com o médico do Hospital Paulista, a avaliação feita por meio dos novos equipamentos conta com a ajuda de um óculos com acelerômetro, que mede a velocidade, e uma câmera que chega a capturar 265 imagens por segundo. Durante os 15 minutos de exame, o paciente recebe estímulos cerebrais usados no desenvolvimento de atividades diárias que exigem movimentos rápidos e/ou reflexo, como atravessar a rua ou reagir a algum som. Logo depois dos testes, um gráfico é exibido na tela do computador e, por meio dele, o médico consegue avaliar e fazer o laudo imediatamente.

“Com o exame tradicional o paciente precisa ficar dois dias sem tomar remédios e não pode realizar a avaliação sem um acompanhante, uma vez que pode sofrer com a tontura. Já com o V-hit, ele não precisa de preparo e, além disso, pode vir sozinho, pois não terá tontura”. O médico enfatiza ainda que é possível fazer o exame mesmo com crises de labirintite.

Mas, não é só o paciente que é beneficiado pelo aparelho. “Para o médico, a grande vantagem é que ele avalia mais estruturas do labirinto do que o exame normal e, desta maneira, oferece um diagnóstico mais preciso. Enquanto o exame antigo analisa um dos cinco sensores do labirinto, o V-Hit avalia três”, explicou Dorigueto.

Apesar de exibir um resultado mais preciso, o médico do Hospital Paulista alerta que ainda assim existem outros exames que precisam ser feitos e, um deles, é a Videonistagmografia Infravermelha. “Diferentemente dos exames com fios, este aparelho avalia o quadro do paciente com filmes e dá um resultado muito mais preciso com relação à parte neurológica do sistema do labirinto. Ele aumenta muito mais a chance de encontrar uma lesão escondida do que os exames tradicionais feitos pelo método analógico”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.