Hospital PUC-Campinas é credenciado pelo SUS para implante coclear

122

O Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital PUC-Campinas (SP) foi credenciado pelo Ministério da Saúde para realizar a cirurgia de implante coclear pelo SUS. O primeiro procedimento será realizado nesta sexta-feira (14), às 13h, em um adolescente de 16 anos de idade.

O paciente irá realizar a cirurgia pois apresentou uma perda auditiva súbita de grau severo a profundo em ambos os ouvidos e não se beneficiou com o uso de aparelhos de audição. Os pacientes podem ter indicação de realizar esta cirurgia antes de desenvolver a fala (como em casos de surdez desde o nascimento) ou após o desenvolvimento da fala (como em casos de surdez súbita). Com o implante coclear o paciente será capaz de ouvir novamente e retornar ao convívio social.

Segundo o otorrinolaringologista João Paulo Peral Valente o implante coclear, também chamado popularmente de ‘ouvido biônico’, é uma prótese eletrônica utilizada para restaurar a audição de pacientes com surdez do tipo severa ou profunda e que não se beneficiam com o uso de aparelhos de audição convencionais. O implante coclear é composto por duas partes: uma unidade interna que é implantada cirurgicamente na cóclea e uma unidade externa que se posiciona na região atrás da orelha. O implante estimula diretamente o nervo da audição e esse estímulo é levado via nervo auditivo para o cérebro.

Em Campinas, há algumas clínicas privadas que realizam esse procedimento. Pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a cirurgia até então só podia ser realizada no Hospital de Clínicas da Unicamp. O valor aproximado de um implante coclear é de R$ 40 mil. O alto custo se deve, principalmente, pelo fato de todas as próteses disponíveis serem importadas.

O hospital realizará de duas a três cirurgias por mês e o agendamento será regulado pelo sistema de gerenciamento SUS do Hospital PUC-Campinas, de acordo com o convênio existente entre o Hospital e a Prefeitura Municipal.

Nas crianças que nasceram com a surdez, a cirurgia visa proporcionar o estabelecimento da comunicação oral, que só é possível por meio de uma audição adequada. Para os adultos, o retorno do convívio social e melhora da qualidade de vida são outros benefícios geralmente trazidos com o implante.

Cirurgia

A cirurgia é normalmente feita sob anestesia geral, podendo ser realizada em um ouvido (unilateral) ou nos dois ao mesmo tempo (bilateral). A duração do procedimento é de cerca de 1 hora e 30 minutos quando se realiza o implante unilateral e 3h se bilateral. Na cirurgia é colocado o componente interno do implante, composto pela unidade receptora e feixe de eletrodos. Usualmente o paciente permanece internado por um ou dois dias e as complicações pós-operatórias são, geralmente, incomuns.

Equipe envolvida:

Dr. João Paulo Peral Valente

Dr. José Eduardo Faria Martins

Dr. Bruno Borges Taguchi

Dra. Aryane Marcondes Rezende

Dr. Rafael Vicente Lucena

Fga. Karin de A. Barros Nivoloni

Fga. Camila Oyama Solcia

Deixe seu comentário