Hospital que atende o SUS arrecadou R$ 9,4 mi em 2017

Renúncia fiscal de pessoas físicas e jurídicas contribui para o investimento em tecnologia para o atendimento de crianças e idosos

O Hospital Angelina Caron, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), arrecadou R$ 9,4 milhões em 2017. O montante captado faz parte da renúncia fiscal de pessoas físicas e jurídicas, aplicadas nos Fundos do Idoso e Infância e do Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD), e contribuirá no investimento em um novo pronto-socorro e tecnologia para o atendimento de crianças, idosos e pessoas com deficiência. O resultado representa um crescimento de 130% se comparado com os R$ 4,1 milhões captados em 2016.

A gerente de investimento social do Hospital Angelina Caron, Stephanie Formoso, comenta que a parceria entre as instituições é importante para o cuidado e tratamento adequado. “A captação de recursos permite o investimento em novos equipamentos e acesso às soluções importantes para o tratamento das crianças e idosos no Hospital Angelina Caron. É a oportunidade de antecipar os investimentos em itens que podem ser a diferença no suporte à vida”.

Stephanie reforça que os recursos captados serão utilizados exclusivamente como investimento na estrutura do hospital. “O valor captado é integralmente investido em melhorias na estrutura do Angelina Caron. O hospital conta com uma gestão consciente e saudável. Fechamos com superávit todos os anos e, por isso, conseguimos investir em entregar uma estrutura de hospital privado para a população que depende do SUS”.

Investimentos

Com o valor arrecadado foram realizados investimentos, ainda em 2017, no centro cirúrgico da ortopedia, ensino e pesquisa, hemodinâmica, nefrologia, pediatria e pronto-socorro. Para 2018 estão previstos os investimentos em profissionais de saúde, compra de equipamentos, além da reformulação do pronto-socorro e a aquisição de novas tecnologias.

O montante permitirá a um centro inovador (primeiro no sul do Brasil) com protocolos para reabilitação e a reinserção de pessoas em idade com deficiência física causada por sequelas de Esclerose Múltipla, Paralisia Cerebral, Miopatias, Lesões Encefálicas Adquiridas e Lesão Medular.

SUS

Vale lembrar que o hospital é um dos maiores parceiros do Sistema Único de Saúde (SUS), com mais de 420 mil pacientes de todo o Brasil por ano. Apenas 5% de seus atendimentos são feitos por convênio ou de forma particular. E, em 2017, completou a marca dos cinco milhões de atendimentos realizados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.