Hospital São Vicente de Paulo adota plano de atendimento a doenças globais para casos suspeitos de coronavírus

7871

O aparecimento de casos suspeitos de 2019-nCoV, o coronavírus, em diversos países do mundo, acendeu o alerta mundial para a doença. No Brasil, embora não haja confirmação de casos de pessoas contaminadas pelo vírus, infectologistas e unidades de saúde se mobilizam para atuar da forma mais segura possível. O Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), na Tijuca, Rio de Janeiro (RJ), já ativou o plano de atendimento a doenças emergentes globais.

“Seguimos normas internacionais de qualidade e segurança em saúde por possuirmos acreditação da Joint Commission International, a maior agência certificadora de qualidade e segurança em saúde do mundo. Sendo assim, já acionamos nosso plano de ação para casos de doenças que tenham alto risco de disseminação entre a população, como o coronavírus”, explica a infectologista Isabella de Albuquerque, responsável pela coordenação do plano no HSVP.

A ação começa com a disseminação da informação junto à população. Inicialmente, cartazes foram dispostos na unidade e postados no Facebook do hospital. O propósito é divulgar os sintomas da doença, para permitir o reconhecimento de casos suspeitos. “Esse paciente não pode ficar aguardando o atendimento. Deve ser logo identificado e ter atenção priorizada. Ao se identificar, na recepção, ele já recebe uma máscara cirúrgica para se proteger, assim como aos demais pacientes que aguardam atendimento”, destaca a especialista. Ela ressalta que os dispensários de solução alcoólica para a higienização das mãos distribuídos pelo hospital representam uma das principais formas de prevenção de infecção.

Uma vez identificado, o paciente deverá ser encaminhado a um leito de isolamento e todo o atendimento dele será feito por uma equipe que atua portando todos os equipamentos de proteção individual, como máscaras específicas, jalecos, luvas, óculos de proteção e calçados especiais. “Outra medida muito importante é a orientação constante a toda a equipe do HSVP com atualizações de notícias e orientações oficiais do Ministério da Saúde, por meio de uma lista de transmissão, via Whatsapp e e-mail, que utilizamos cotidianamente”, acrescenta a especialista. Além disso, como parte do treinamento da equipe de assistência, foi realizado um simulado para que todos estejam preparados para agir no momento em que for necessário.

“Vale dizer que a orientação atual do Ministério da Saúde é que os casos suspeitos sejam imediatamente notificados ao grupo responsável pela vigilância epidemiológica no Estado e, logo que possível, transferidos para os hospitais de referência. Aqui no Rio de Janeiro, a unidade de saúde encarregada é o Instituto Nacional de Infectologia, da Fundação Oswaldo Cruz”, informa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

16 − 1 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.