Hospital Unimed Chapecó realiza cirurgia com laser para próstata aumentada

Com um aparelho introduzido pela uretra retira-se o ‘miolo’ e mantém-se, praticamente, somente a cápsula da próstata

Mais de 40% dos homens com idade superior a 60 anos serão acometidos pela Hiperplasia Prostática Benigna (HPB), também conhecida como próstata aumentada. A enfermidade é uma das principais causas de sintomas urinários e à medida que o organismo envelhece, os sintomas desta condição pioram. Para muitos pacientes essa obstrução urinária é resolvida apenas por cirurgia, que com os constantes avanços da medicina permitem a inserção de técnicas cada vez menos invasivas (sem cortes).

Exemplo disso é a Enucleação Endoscópica da Próstata com Holmium Laser (HoLEP), uma técnica moderna para o tratamento do crescimento benigno da próstata, realizada no Hospital Unimed Chapecó. Este procedimento foi conduzido, recentemente, pelos urologistas Dr. Paulo Caldas, Dr. Hardy Franz Goldschmidt, Dr. Juliano Ferneda e Dr. Thiago Hota (de Curitiba/PR). É considerada a técnica padrão ouro para próstata mais crescida, principalmente, acima de 80 gramas.

“Por suas características, a técnica permite remover uma grande quantidade de próstata crescida, mas de maneira minimamente invasiva. Com um aparelho introduzido pela uretra retiramos o que chamamos de ‘miolo’ e mantemos, praticamente, somente a cápsula da próstata. Ao final outro aparelho é responsável por retirar as partes cortadas pelo laser e que ficaram armazenadas na bexiga. Desta forma, o canal ficará totalmente livre para permitir a passagem da urina”, explica Dr. Paulo.

A utilização da HoLEP em muitas partes do mundo, segundo o médico urologista, mostrou ser um procedimento seguro e eficaz. “Embora existam muitos tipos de cirurgias de HPB disponíveis, a HoLEP oferece uma vantagem única em poder remover uma grande quantidade de tecido prostático sem incisões no corpo, mesmo em próstatas grandes. Além disso, diminui em, no mínimo, duas vezes os riscos de sangramento, fornece tecido para análise patológica (procura de câncer), minimiza o tempo de permanência no hospital e reduz a necessidade de repetição do tratamento cirúrgico”, argumenta o urologista.

Essa técnica é empregada em casos de HPB, ou seja, a próstata não é cancerosa, mas aumentada, e que tenham indicação cirúrgica. A doença pode apresentar vários sintomas como jato urinário fraco, esforço miccional, micção frequente, incapacidade de urinar, dificuldade em iniciar a micção ou perda do controle da bexiga. Caso não tratada pode evoluir e gerar problemas de longo prazo como retenção de urina, infecções urinárias e cálculos na bexiga. “A incorporação e a realização de cirurgias com laser para hiperplasia prostática benigna sedimenta e ratifica o Hospital Unimed Chapecó como referência no tratamento desta doença”, finaliza Dr. Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.