Impactos da pandemia na saúde, na ciência e na sociedade são destaque em congresso da Unifesp

52

A pandemia do novo Coronavírus e seus impactos nas áreas médica, científica e social terá grande destaque no Congresso Acadêmico que a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizará entre os dias 13 e 17 de julho. O evento, que neste ano acontecerá virtualmente, é aberto ao público.

Ao longo do congresso, o tema será trazido sob diferentes aspectos. Na mesa “Distanciamento Social e Saúde Mental: Porque, como e formas de manejo”, as questões psicológicas relacionadas às medidas de combate à Covid-19, como o isolamento e distanciamento social serão destacadas. Especialistas da área de psiquiatria, psicobiologia e saúde coletiva abordarão como essas medidas podem ser consideradas o principal fator ambiental de desencadeamento de depressão e ansiedade. Os mecanismos envolvidos nessa relação, como os jovens estão lidando com a situação e formas de manejo de estresse para reduzir o impacto entre distanciamento social e transtornos mentais serão alguns dos assuntos discutidos.

A relação pandemia, SUS e universidade é outro tema de destaque, onde a relevância da saúde coletiva e do Sistema Único de Saúde (SUS) no combate à Covid-19, bem como o papel das universidades como instituições de ensino e pesquisa que interagem com esses serviços de saúde, seja na formação de profissionais guiados pelas diretrizes e valores da saúde pública, seja pela integralidade do atendimento à população, serão o foco principal.

Na mesa “Saúde em tempos da Covid-19”, as lições aprendidas por uma escola médica e de enfermagem no enfrentamento dessa emergência sanitária serão compartilhadas, bem como o papel da medicina na atualidade.

Saúde e ciência juntas

Para abordar as práticas de combate à Covid-19, o congresso tem, em sua programação, diversas mesas onde o tema une saúde e ciência. Em “Doenças emergentes, infecciosas e negligenciadas”, os mecanismos moleculares da biologia básica serão relacionados aos aspectos patológicos e ao manejo de pacientes com doenças virais, bacterianas e a parasitárias.

Os métodos de prevenção à Covid-19 através de diferentes ações; a função dos diversos testes diagnósticos, tanto para conduzir o tratamento, bem como para traçar estratégias epidemiológicas para a gestão da pandemia; e as promessas terapêuticas exitosas que estão sendo empregadas em diversos contextos de atendimento ao paciente com Covid-19, entre elas o plasma de convalescentes, as drogas antivirais, a heparina e a UTI Terapêutica também terão grande destaque.

A união entre saúde e ciência também será tratada nas mesas “Pesquisas experimentais, farmacologia molecular e imunologia”, onde serão discutidas as pesquisas básicas desenvolvidas na Unifesp para o enfrentamento da pandemia; e “A ciência e nossas universidades no desenvolvimento da vacina contra Covid-19”, onde grandes nomes da infectologia falarão do avanço dos estudos das vacinas, assim como a importância do envolvimento das autoridades brasileiras, governos e parlamento e o papel das universidades nesse processo.

Impactos sociais da pandemia

O congresso acadêmico da Unifesp também trará mesas que discutirão sobre as desigualdades sociais ainda mais evidenciadas nessa crise provocada pela pandemia.

O momento por qual todos estamos passando levanta questões como quais são os caminhos a tomar? Quais são os rumos a seguir? Quais são as escolhas, decisões e ações que devemos iniciar para seguir em direção a caminhos éticos que possibilitem o surgimento de novos mundos e formas de vida? Na mesa “Nexos entre Cidades, Pandemia, Desigualdades e Participações Sociais”, os debatedores abordarão como a pandemia veio como um grande acontecimento para desestabilizar intensamente as bases do mundo contemporâneo, impondo a necessidade de estabelecer novos processos, condutas e relações sociais, de forma a conter as múltiplas dimensões das desigualdades existentes no país.

Nessa mesa, o público também poderá entender como os impactos dessa desigualdade restringem as participações sociais em ações coletivas, manifestações de rua e lutas políticas.

Já na mesa “Pandemia e desafios para a Humanidade: Vidas Importam”, o destaque será como a pandemia trouxe implicações de alto impacto humano, econômico, social e ambiental. explicitando a profunda e estrutural desigualdade existente entre as classes sociais, evidenciadas nas formas de prevenção e combate à Covid-19.

Na ocasião, os debatedores abordarão como a situação nos leva a refletir e propor ações que tenham a defesa da vida como princípio ético em relação ao modelo econômico, à organização social, aos direitos das pessoas, bem como a forma como nos relacionamos com o meio ambiente.

Informações e inscrições: www.congresso.unifesp.br