Informa apresenta portfólio da saúde, que inclui a Hospitalar, e revela as expectativas para o ano

3078

Por Carol Gonçalves

Em 2018, a Hospitalar comemorou seus 25 anos; este ano, a feira acontece de 21 e 24 de maio

Já está chegando mais uma edição da Hospitalar, considerada a plataforma mais eficiente para geração de negócios e desenvolvimento tecnológico do setor. O evento acontece entre os dias 21 e 24 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo, e tem a Revista Hospitais Brasil como mídia oficial.

Uma das novidades mais significativas foi a aquisição, em 2018, da UBM Brazil (organizadora da Hospitalar) pelo Grupo Informa PLC. Em dezembro, as empresas reuniram o mercado para apresentar o novo portfólio da saúde, formado pela união da Hospitalar, do SBF – Saúde Business Fórum e do HIS – Healthcare Innovation Show. Esse novo modelo de negócio irá conectar, ao longo do ano, os principais atores do setor, proporcionando conteúdo qualificado, acesso a tecnologia, equipamentos, produtos e serviços, novas experiências e inovação.

Dra. Waleska Santos, presidente e fundadora da Hospitalar

Na ocasião, a presidente e fundadora da Hospitalar, Dra. Waleska Santos, ressaltou que a origem da Hospitalar continua intacta. O cerne do projeto ainda é trabalhar na área da saúde, promovendo os profissionais e as instituições com foco no paciente. “Ele é o nosso objetivo e juntos conseguimos, ao longo dessa jornada, construir um setor forte e que se desenvolve com uma presença significativa na área econômica e governamental”, disse.

Já o presidente da Informa Exhibitions no Brasil, Marco Basso, reforçou a importância da relação com a UBM Brazil e seu objetivo de transformar a Hospitalar em uma plataforma de desenvolvimento na área da saúde. “Com a aquisição, nos tornamos a maior organizadora de eventos do mundo, o que é uma responsabilidade muito grande, já que nosso intuito é estar cada vez mais próximos dos setores e trabalhar de forma personalizada.”

Novidades da Hospitalar

Sempre há novidades em cada edição da Hospitalar. Um dos novos projetos é o Atenção Domiciliar: Transição e Continuidade de Cuidados, que envolve uma área exclusiva na feira e um congresso, em parceria com o EnCONSAD.

Além disso, o CISS – Congresso Internacional de Serviços de Saúde passou a ser o representante latino-americano da ISQua – The International Society for Quality of Health Care, contando com o envolvimento de entidades latinas, como IECS e IUCS e OES.

Rodrigo Moreira, diretor de estratégia da Informa

Outras novidades são o novo congresso de enfermagem em parceria com o HCFMUSP e o investimento ainda maior no setor de Reabilitação, com a intensificação da parceria com a Dra. Linamara Rizzo Batisttella, coordenadora científica e embaixadora desse setor. “Temos, ainda, o congresso de saúde suplementar, a continuação dos nossos investimentos nos projetos de facilities e tecnologia, abrangendo o HIMSS@Hospitalar, e mais empresas expositoras destes segmentos. Nossos parceiros também estão preparando muitas novidades para seus eventos, que acontecem durante os quatro dias da Hospitalar”, acrescenta o diretor de estratégia, Rodrigo Moreira.

Conexão e engajamento

A Informa Brasil tem como objetivo se conectar de uma forma ainda mais profunda e regular com a comunidade de saúde, conforme explica Moreira. “Estamos procurando novas formas de servir ao setor através dos produtos e serviços que fazem parte do portfólio, bem como analisando novas oportunidades que fazem sentido para servir e gerar mais valor ao segmento, nos diferentes elos da cadeia de valor.”

Além de estabelecer um tema comum que permeia as atividades ao longo do ano, a empresa está revisando as ofertas e buscando um alinhamento com os profissionais da Informa de outros países para acelerar sua capacidade de entrega e aumentar o nível dos eventos que realiza, focando, também, em estratégia digital. “Teremos mais novidades em breve”, anuncia.

Dr. Vitor Asseituno, diretor de mercado da Informa

Sobre o tema central, “Engajamento e experiência do paciente: uma abordagem de negócio”, quem dá mais detalhes é o diretor de mercado, Dr. Vitor Asseituno. Segundo ele, o sistema de saúde está passando por um desafio de crescimento de custo muito alto, causado, principalmente, por doenças crônicas ligadas a comportamento das pessoas. “Para termos um setor mais sustentável no médio/longo prazo, o engajamento do paciente é fundamental. Ao mesmo tempo, um paciente só se engaja com algo que ele goste, acredita e entenda como parte de sua vida. Entregar qualidade médica é imprescindível, mas se não há outros fatores que melhorem a experiência do usuário para que ele esteja engajado no seu próprio cuidado, não vai funcionar”, expõe.

Dr. Asseituno observa que, cada vez mais, todos os players da área – hospitais, operadoras, laboratórios, indústria farmacêutica, áreas de equipamentos e de TI – estão pensando em como trazer o paciente para o centro. “É papel de todas as organizações participar mais da vida dos pacientes para que eles participem menos da vida dos hospitais.”

Objetivos

O setor de saúde é estratégico para a Informa, que possui diversas marcas relevantes globalmente, como Arab Health, Fime, Expomed e Medlab, entre outras. “Nossos objetivos são a continuidade dos investimentos para melhorar ainda mais nossos produtos e serviços, criar novas soluções ao mercado, com o propósito de, a cada dia, através de uma plataforma setorial com expertise e profundidade em saúde, contribuirmos para o desenvolvimento do setor e, fundamentalmente, para um mundo mais saudável”, destaca Moreira.

O diretor de estratégia garante que, desde a aquisição da Live Healthcare Media, em maio de 2018, e, em seguida, com a combinação entre UBM e Informa, os esforços têm sido muito grandes para a execução do plano de integração traçado. “Buscamos sempre a preservação dos principais atributos e diferenciais de cada marca do nosso portfólio e também estimulamos o desenvolvimento individual dos nossos colaboradores.”

Moreira reconhece que ainda há muito trabalho pela frente, mas que os resultados até agora são muito positivos. A empresa espera que este período inicial de integração gere muito aprendizado e permita formar uma estrutura organizacional ainda mais forte e conectada com as necessidades do mercado.

SBF 2019

A 17ª edição do Saúde Business Fórum foi o primeiro evento do ano do portfólio saúde da Informa

A 17ª edição do Saúde Business Fórum, que aconteceu entre os dias 21 e 24 de fevereiro, em Comandatuba, na Bahia, foi o primeiro evento do ano do portfólio saúde da Informa.

Durante o encontro, mais de 140 presidentes e diretores de instituições do setor puderam desenvolver oportunidades de negócios e compartilhar experiências e conhecimentos com os 59 patrocinadores, em mais de 500 reuniões de negócios estruturadas. Ao todo foram mais de 22 horas de conteúdo disponibilizado durante o evento e mais de 30 horas de relacionamento.

No primeiro dia, os participantes puderam assistir a um debate com o presidente da UnitedHealth Group Brasil, Claudio Lottenberg, e o especialista em Design de Serviços e cofundador da Wake Insights, Fábio Amado. Eles enfatizaram o cenário da era digital, tão em evidência atualmente na área da saúde.

Amado, que também é Coordenador do Instituto Europeu de Design, falou da transição da economia de serviço para a economia de experiência e a personalização, consideradas fundamentais para o usuário, entre outros assuntos.

Já o segundo dia foi marcado pelas reuniões de negócios e salas de debate, nas quais convidados e patrocinadores discutiram diversos assuntos, como saúde digital, infraestrutura, inteligência artificial, gestão integrada e eficiência na operação.

Uma das grandes novidades apresentadas neste dia foi um painel com fundos de Private Equity e que, segundo o Dr. Asseituno, tem sido um player cada vez mais frequente na área. “Em um setor que tem margens apertadas, mas precisa de investimento, os fundos só vêm para complementar o papel no negócio que é mais dinâmico, aumentando a capacidade de investimento das organizações e a rapidez de consolidação do setor,” disse.

O terceiro e último dia de atividades foi repleto de dinamismo. Os profissionais da saúde puderam discutir as propostas que elaboraram durante a dinâmica de experiência do paciente que foi realizada no dia anterior. O dia 24 foi dedicado ao retorno da viagem.

De acordo com o Dr. Asseituno, o SBF 2019 foi excepcional, o maior da história. “É um evento de alto nível, no qual as pessoas ficam numa grande imersão que gera muitos insights e negócios, promovendo um relacionamento que beneficia o segmento e as organizações onde esses profissionais atuam. Esta edição mostrou a força do que queremos entregar para o setor e que a Informa, mesmo já sendo a maior empresa de eventos do mundo, ainda pretende, em cada relacionamento, em cada encontro, trabalhar um nível de qualidade cada vez maior”, avalia.

Tecnologia e futuro

Questionado sobre se o mercado de saúde está mais aberto a novidades, o Dr. Asseituno disse que sim, que a tecnologia já chegou em todos os setores e em saúde não é diferente. O celular, por exemplo, é um dispositivo fantástico para fazer as pessoas se engajarem mais com a própria saúde. “Vamos ao médico a cada seis meses ou um ano e olhamos o celular inúmeras vezes por dia. Isso mostra que é possível alavancar muito o cuidado através da tecnologia.”

Segundo ele, a tecnologia é fundamental para se ter um modelo de financiamento/pagamento do setor mais adequado, justo, meritocrático e transparente. Além disso, como usuários, esperamos da área de saúde a mesma agilidade, experiência, qualidade e preocupação com o cliente que a tecnologia propicia a outros setores, como de entretenimento e serviços bancários.

Sobre quais são as grandes mudanças que poderão impactar significativamente o mercado nos próximos anos, Dr. Asseituno diz que a maior delas é o custo. “Quando as empresas cresciam dois dígitos e o custo saúde também, era fácil ignorar a saúde. Agora, em uma economia com empresas mais maduras e crescimento de um dígito, ninguém mais aguenta o crescimento de dois dígitos na saúde. Isso faz com que a pressão por custo seja muito grande, levando à necessidade de mudança no modelo de remuneração”, expõe.

Outra mudança que ele percebe é o crescimento da telemedicina, que também se relaciona com gestão de custo. “Não significa que a implementação da telemedicina tem como objetivo simplesmente reduzir custos, mas com certeza vai fazer isso, e será bom para todos, inclusive o paciente.”

Expectativas

As expectativas da Informa para este ano são bastante animadoras. “Realizamos um excelente SBF 2019, temos uma Hospitalar com perspectivas muito positivas e que já tem seus espaços e oportunidades de patrocínio praticamente fechados”, comemora Moreira.

Do ponto de vista de visitação, ele diz que a Hospitalar também tem sinalizado grandes perspectivas, pois os profissionais e empresas do setor estão se preparando desde já para estarem presentes na feira, onde pesquisarão novos produtos, serviços e soluções e efetuarão suas compras, além de se atualizarem nos congressos, conferências e demais eventos de educação executiva realizados simultaneamente todos os anos, através de iniciativas próprias da Hospitalar ou em parceria com as principais instituições do mercado.

Moreira lembra que, ainda ao longo do ano, haverá o HIS e outras atividades que estão sendo preparadas. “Estamos muito empolgados com as oportunidades de ajudarmos o mercado a se desenvolver ainda mais.”

Segundo o Dr. Asseituno, as expectativas com os eventos do grupo é sempre crescer tanto em qualidade quanto em quantidade. “Em qualidade para que a gente seja mais relevante e entregue mais valor ao mercado. E em quantidade pois quanto maior a fatia representativa do segmento presente no evento, maior nosso poder de mudança, de influenciar, de ajudar, de estar junto com o setor”, explica.

Ele diz que tecnologia será uma vertical trabalhada cada vez mais, não apenas com relação a empresas voltadas à área, mas também como ela vem sendo utilizada dentro dos eventos para entregar melhores experiências aos participantes.

“Temos um portfólio fortíssimo, com eventos significativos a cada três ou quatro meses que se complementam, formando um ciclo virtuoso enorme que estamos aprendendo a utilizar da melhor forma. Acredito que no próximo ano a gente ainda terá muitos ganhos com esta estratégia”, expõe o Dr. Asseituno.

Com a palavra, o presidente

Marco Basso, presidente da Informa Exhibitions, ingressou na empresa em 1996, como diretor administrativo. Cursou MBA Executivo Internacional na FIA/USP após se formar em engenharia civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Além disso, possui MBA em Finanças pelo Ibmec/Insper-SP e pós-graduação em Administração de Empresas pela FGV-SP.

RHB: Como a Informa analisa o mercado de saúde no Brasil para o desenvolvimento de suas atividades?

MB: O mercado de saúde no Brasil é um dos maiores da América Latina, com mais de 6,5 mil hospitais e 18 mil laboratórios de diagnóstico. De acordo com a última pesquisa do IBGE divulgada sobre o setor, as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 546 bilhões em 2015. Isso demonstra todo o potencial dessa área, que expandiu muito nos últimos anos e traz inúmeras oportunidades para o setor de eventos. A Informa já é referência no mercado de saúde em sua operação global. Aqui no Brasil, com a combinação com a UBM, nosso portfólio cresceu e passou a contar com um núcleo próprio para este mercado.

RHB: Como o portfólio de saúde no Brasil irá se integrar aos outros eventos do Grupo, como Arab Health e Fime?

MB: Todo o nosso know-how global adquirido com a organização de grandes eventos de saúde, como Arab Health e Fime, serve como base para o desenvolvimento do novo portfólio para esse setor. A UBM já trabalhava muito bem essas feiras, o que queremos é reforçá-las e complementá-las com o conhecimento que temos do mercado, especialmente em relação a conteúdo.

RHB: Quais as responsabilidades de a Informa se tornar a maior organizadora de eventos do mundo?

MB: É uma grande responsabilidade. Atuamos em mais de 12 diferentes segmentos e temos o compromisso de viabilizar, por meio dos nossos eventos, o desenvolvimento e o fortalecimento desses mercados. São indústrias e setores altamente representativos na economia brasileira e global e que depositam nas nossas feiras grandes expectativas na geração de negócios, relacionamento e exposição de marcas.

RHB: Quais as expectativas para este ano?

MB: Em 2018 a Informa promoveu mais de 30 eventos, com 6 mil expositores, 750 mil visitantes e 1 milhão de metros quadrados de exposição. Além de mais de 1.800 horas de conteúdo produzido dentro das feiras e em nossos canais digitais. A expectativa para esse ano é de seguirmos nesse ritmo de crescimento, conectando pessoas, marcas e produtos, 365 dias por ano.

Matéria originalmente publicada na Revista Hospitais Brasil edição 96, de março/abril de 2019. Para vê-la no original, acesse: portalhospitaisbrasil.com.br/edicao-96-revista-hospitais-brasil

Deixe seu comentário