Livro mostra uma nova maneira de estudar cardiologia

No Brasil, as doenças cardiovasculares (DCV) continuam matando mais do que câncer, doenças respiratórias e mortes violentas. Segundo a SOCESP (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo) são 400 mil óbitos todos os anos. Por isso, diferentes diretrizes são publicadas frequentemente pelas sociedades médicas, atualizando recomendações para os diagnósticos e tratamentos. As diretrizes são feitas para nortear condutas, mas, no entanto, devem ser adaptadas a diferentes realidades. Justamente por isso, divergem em seu conteúdo.

O novo livro da Manole ‘Treinamento em Diretrizes – Cardiologia 3ª edição’ apresenta um modelo inédito de comparação das diretrizes – a brasileira, a da European Society of Cardiology e a da American Heart Association –, que permite uma análise e um raciocínio crítico por parte dos profissionais da área. A obra oferece uma nova maneira de estudar cardiologia e é leitura fundamental para todo médico clínico, que atua junto ao paciente e também para aqueles que estudam para concursos e títulos.

O livro traz esclarecimentos importantes, tais como: em quais pontos as diretrizes divergem no tratamento de dislipidemias? Como avaliar de maneira sistematizada pacientes em pré-operatório de cirurgias não cardíacas de acordo com diferentes recomendações? O que dizem as diretrizes em relação ao tratamento medicamentoso em pacientes com síndrome coronária aguda? Qual o manejo direcionado e mais prudente de pacientes com valvopatias? Fibrilação atrial segue as mesmas recomendações no Brasil e no mundo? Como a Europa e os Estados Unidos têm tratado a insuficiência cardíaca comparativamente ao Brasil?

Editores

Alexandre de Matos Soeiro é médico cardiologista assistente e supervisor da Unidade Clínica de Emergência do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InCor-HCFMUSP) e coordenador da Unidade Cardiológica Intensiva do Hospital BP Mirante, além de doutor em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tatiana de Carvalho Andreucci Torres Leal é médica cardiologista assistente da Unidade Clínica de Emergência do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InCor-HCFMUSP).

Bruno Biselli é médico assistente da Unidade de Insuficiência Cardíaca do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InCor-HCFMUSP) e médico da Unidade de Insuficiência Cardíaca Avançada do Hospital Sírio-Libanês-SP.

Carlos Vicente Serrano Jr. é professor associado, livre-docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e diretor da Unidade Clínica de Aterosclerose do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP (InCor-HCFMUSP).

Roberto Kalil Filho é professor titular da Disciplina de Cardiologia do Departamento de Cardiopneumologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), diretor da Divisão de Cardiologia Clínica, presidente da Comissão Científica e Presidente do Conselho Diretor do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP (InCor-HCFMUSP), além de diretor geral do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês.

Múcio Tavares de Oliveira Jr. é diretor do Centro de Infusão e Hospital Dia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InCor-HC-FMUSP).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.