Médico do IBCC Oncologia lança livro sobre a doença do silicone mamário

O livro “A voz do silêncio: quando a ciência é a inimiga. A saga da Doença do Silicone” acaba de ser lançado pelo Dr. Eduardo de Faria Castro Fleury, professor e médico do IBCC Oncologia, em que conta sua participação na história da descoberta da doença da SIGBIC, sigla que em português se traduz como Granuloma induzido por silicone na cápsula.

O autor narra desde a negação inicial dos achados pelo meio Acadêmico, passa pelo detalhamento da confirmação feita pelo Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora de medicamentos e saúde dos Estados Unidos, sobre a existência da doença e aborda todas as vitórias e dificuldades encontradas durante o estudo. “Além disso, apresento a relação de mulheres silenciadas pela ciência sobre os problemas relacionados aos implantes de silicone mamários e demonstro a importância de não desistirmos dessa batalha”, diz o médico.

Segundo Dr. Fleury, são evidências contundentes que reforçam as convicções e achados das pesquisas realizadas desde 2017 com mais de 3 mil mulheres, no serviço de Radiologia do IBCC Oncologia. “Trata-se de uma obra produzida com a junção de uma série de estudos com embasamento científico e referencias internacionais relacionados aos problemas causados pelas próteses de silicone nas mamas”, destaca o médico.

O livro é destinado aos alunos de graduação na área da saúde humana e ao público em geral interessado no tema. “Na publicação detalho quais são os sintomas da doença, as principais descobertas e os relatos das pacientes”, ressalta o médico.

“A voz do silêncio: quando a ciência é a inimiga. A saga da doença do silicone” de Eduardo de Faria Castro Fleury está disponível na plataforma Kindle e pode ser acessado de maneira gratuita com assinatura ilimitada ou ser comprado por R$ 24,02 pelo Amazon.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.