Mês dedicado a prematuridade movimenta o Hospital Estadual Materno-Infantil

141

Em 17 de novembro é celebrado o Dia Mundial da Prematuridade, e durante o mês são realizadas atividades e ações para alertar sobre o crescimento de bebês que nascem antes da hora. O Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), de Goiânia (GO), dedicou uma semana a palestras, dinâmicas e exposições, para falar sobre o assunto. A exposição “Quando o amor tem pressa para chegar”, com fotos de prematuros da unidade, permanece até o final do mês.

Durante a ação, as mães de bebês prematuros (bebês que nascem com menos de 37 semanas) internados no Hospital puderam receber orientações de como cuidar dos prematuros para favorecer seu desenvolvimento.  Uma das técnicas ensinadas é wrap sling, criada para facilitar o contato pele a pele e favorecer a  recuperação dos bebês mais rápido. Além disso, palestras sobre os cuidados humanizados, banco de leite humano do HMI e a importância para os prematurinhos, o benefício da posição canguru na unidade neonatal, também foram enfocados.

O setor de Psicologia desenvolveu várias atividades: a dinâmica “História Contada”, para auxiliar na elaboração dos sentimentos vivenciados na relação mãe-bebê, durante todo o processo da hospitalização; o momento meditação, visando ajudar no controle do estresse e ansiedade; e  sensibilização e orientação com a equipe de profissionais da Unidade de Cuidados Intensivos Neonatal (UCIN) e Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), para explicar o trabalho da Psicologia nos setores e no cuidado com a vida psíquica dos bebês prematuros.

Dentro da programação, teve palestra sobre o método Canguru para as mamães. Uma equipe da ONG Projeto Bebê Canguru ensinou como fazer as amarrações da bolsa e esclareceu sobre as vantagens de carregar o filho na bolsa canguru. “Além de ser prático traz enormes benefícios para a mãe e o bebê”, afirmou Sara Godoy, voluntária da ONG. Além da palestra, foram doados 40 blackouts  (mantinhas para cobrir as incubadoras) e teve sorteio de quatro bolsas canguru  para as mães que participaram do evento.

Adna Silva de Souza, de 19 anos, teve seu bebê com 26 semanas, considerado prematuro extremo. Com quase dois meses, ela já pode sentir a importância do Método Canguru. O bebé já ganhou peso e respira melhor. “fiz o teste e percebi que o contato pele a pele, realmente faz com que ele ganhe peso e fique mais tranquilo”, ressaltou.

Ninguém quer que o filho nasça antes da hora, mas se acontecer, requer todo um cuidado especial, para não ter nenhuma sequela. Daniela Portal, médica neonatologista da unidade, destacou a importância dos cuidados. “O bebê fica  hospitalizado, para que os órgãos estejam totalmente prontos para crescer e se desenvolver em ambiente extrauterino. Só depois que ele respirar sozinho (sem aparelhos), ganhar peso, crescer e conseguir mamar, que poderá ir para casa”. “O HMI tem todo o cuidado humanizado e com o Método Canguru – que é um modelo de assistência ao recém-nascido prematuro e sua família -, juntamente com o Banco de Leite Humano (BLH), onde a nutrição tem um papel fundamental para a recuperação dos bebês, a unidade tem garantido condições de sobrevivência mais rápida e eficaz”, apontou a diretora técnica Sara Gardênia.

Deixe seu comentário