Mil leitos, uma preocupação: BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo investe em videomonitoramento IP

Fundada em 1859, a BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo é o maior polo privado de saúde da América Latina em número de leitos. Com mais de 1.000 leitos, cerca de 8.000 colaboradores e mais de 4.500 médicos cadastrados, a BP é referência no atendimento médico-hospitalar em diversas especialidades como Oncologia, Cardiologia e Neurologia, entre outras. Para se manter em consonância com o histórico de excelência que marca a instituição desde a fundação em 1859, a BP investiu em inovação e reestruturou o sistema de videomonitoramento com câmeras de rede IP Axis Communications e software Digifort.

O projeto, desenvolvido pela Teleinfo analisou o escopo solicitado pelo cliente na concorrência e desenhou uma solução de alta disponibilidade fundamentada em gerenciamento de risco desde a captura da imagem até o armazenamento e gestão de segurança.

A principal preocupação da BP era melhorar a experiência de seus clientes em todos os sentidos. “A Axis e a Teleinfo têm como conceito a inovação constante, especificamente no segmento de security, ou seja, oferecer a pronta resposta aos incidentes ocorridos. A integração permite uma sinergia entre os diversos sistemas de segurança, o que reduz perdas e melhora a experiência dos nossos clientes”, comenta Adriano Yuzo Mizuguti, gerente corporativo de Segurança Patrimonial da BP.

Para tal, foram mobilizadas 80 câmeras de rede AXIS M3004-V, 20 AXIS M3025-VE, 16 AXIS P1405-LE e três P5515-E.

Segurança e discrição

O cuidado com o bem-estar dos clientes, acompanhantes e equipe médica também foi levado em consideração na hora de elaborar o sistema de segurança. Afinal, os equipamentos não podem interferir na privacidade dos clientes.

“No ambiente hospitalar, é importante oferecer segurança aliada à privacidade dos clientes. Desta forma, as câmeras têm design discreto e permitem unir esses dois requisitos”, explica Mizuguti.

A resolução e tecnologias exclusivas da Axis foram os vetores que permitiram uma operação de segurança muito mais abrangente e eficaz. O projeto combina funcionalidades como lightfinder, para a visualização de imagens coloridas em ambientes com pouca luz, como 0,18 lux ou inferior.

Alguns modelos instalados também dispõem de WDR com captura forense, que aplica um conjunto de algoritmos avançados que reduzem níveis de ruídos e exibem cada detalhe na cena da melhor maneira possível. Assim, o vídeo é altamente otimizado para fins forenses, garantindo que todos os detalhes sejam capturados em áreas escuras e claras ao mesmo tempo, mesmo em cenas com condições de iluminação muito complexas, oferecendo mais assertividade na identificação de suspeitos, por exemplo.

“Para nos precavermos, monitoramos grandes áreas de alto fluxo, mapeando algumas delas diariamente. O sistema de vídeo analítico utilizado permite que esse processo seja automatizado, o que contribui para minimizar falhas”, explica Mizuguti.

Além da segurança

As áreas de acessos de pessoas foram os principais pontos de monitoramento do projeto, porque possibilitam a identificação de quem acessa as imediações da BP. Nesses pontos, as câmeras auxiliam a equipe a realizar ações preventivas que ultrapassam a segurança.

“As imagens ajudam a melhorar o fluxo de filas no atendimento das recepções internas, monitorar o nível de atendimento nas áreas de entrega e recebimento de veículos, além de permitir que equipes de apoio possam agir em casos de urgência e emergência”, diz Wellington de Almeida Pimentel Junior, Gerente de Infraestrutura de TI da BP.

Para Marco Antônio Rodrigues Avelar, diretor de Integração e Tecnologias Avançadas da Teleinfo, “o sistema de videomonitoramento propicia, além da efetiva vigilância patrimonial, aplicações em qualquer área do negócio, o que contribui no desenvolvimento dos processos. Conforme informações recebidas, a BP utiliza as imagens para realização de auditorias internas e controle de qualidade”.

O protocolo de integração OVINF utilizado permite a integração com outros sistemas, como o de controle de acesso. Isso permite criar regras em que as catracas de acesso e portas possam ser monitoradas de maneira mais inteligente pelas câmeras de rede. “Por exemplo, ao perceber um cliente saindo de um ambiente controlado, as imagens são sobrepostas no monitoramento, o que permite mais segurança para toda a equipe médica”, exemplifica Pimentel.

Resultado

Além da segurança, o sistema de videomonitoramento contribuiu para reforçar a excelência da BP no atendimento aos clientes e outras operações cotidianas – como auditorias internas, controle de qualidade, melhora no fluxo de filas no atendimento das recepções e monitoramento do nível de atendimento nas áreas de entrega e recebimento de veículos. As imagens impactaram positivamente inclusive o atendimento médico-hospitalar, permitindo com que equipes de apoio possam agir com ainda mais rapidez em emergências. Além disso, o design discreto dos equipamentos permitiu agregar a tecnologia ao dia a dia da instituição sem tirar a sensação de privacidade de pacientes e acompanhantes.

City Câmera

Com os recursos IP, a BP passou a colaborar com o projeto City Câmera, iniciativa da Prefeitura do Município de São Paulo que tem como objetivo inibir a ação de criminosos. As imagens perimetrais captadas pelas câmeras Axis instaladas na área externa da BP são compartilhadas com o Comando da Guarda Civil Metropolitana e transmitidas aos demais órgãos de segurança (Polícias Militar e Civil) por um canal de comunicação de dados da internet, sendo possível a realização de uma triagem de ações que ocorrem em ruas e avenidas da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.