Neurogenética na Prática Clínica

178

Resultado de um trabalho de quase dois anos, a obra Neurogenética na Prática Clínica desenvolve, durante 16 seções e 35 capítulos, a união de duas grandes e importantes subespecialidades médicas: a Neurologia e a Genética. Escrita e pensada por cinco editores e mais de 60 colaboradores, todos com formações heterogêneas entre si, possui ampla abordagem, tratando tanto da parte clínica quanto da ciência básica.

Dr. José Luiz Pedroso, professor afiliado do Departamento de Neurologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), membro da diretoria da Associação Paulista de Neurologia (APAN) e um dos responsáveis pela edição do livro, conta que a ideia surgiu devido à grande evolução nas descobertas de doenças neurológicas de origem genética que têm acontecido, especialmente, na última década.

“As doenças contempladas pela Neurogenética são raras e acabam sendo pouco abordadas. Desse modo, nosso objetivo com a produção do livro é reunir enfermidades neurológicas com origem genética em um único lugar, já que elas pertencem a diferentes subáreas da especialidade. Graças aos avanços das técnicas diagnósticas, sentimos a necessidade de desenvolver um material didático, uma espécie de revisão, que fosse capaz de discutir todos esses temas juntos”, explica dr. Pedroso, que também é vice-coordenador do Departamento Científico de Neurogenética da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Direcionado tanto para os alunos quanto para neurologistas, neuropediatras, biomédicos e residentes da área de Neurologia e Neurologia Infantil, o livro aborda, de forma abrangente, definições, técnicas de diagnóstico genético, características clínicas, fisiopatologia de cada doença, quadros clínicos bem como opções e aspectos terapêuticos.

Escrito por Marcondes C. França Jr., Sarah Teixeira Camargos, Orlando G. P. Barsottini e Fernando Kok, além de José Luiz Pedroso, previamente citado, o livro será lançado em 16 de agosto.

Deixe seu comentário