Nova prótese para coluna lombar recupera mobilidade do paciente em até 48 horas

Uma novidade recém-chegada ao Brasil promete melhorar a vida de quem sofre com problemas na coluna lombar. Trata-se de uma nova prótese de disco que oferece resultados surpreendentes, conforme explica Dr. Marcelo Perocco, neurocirurgião especialista em coluna, membro da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) e responsável pelas cinco primeiras cirurgias realizadas até hoje, com esse dispositivo na América Latina. “A característica mais importante dessa prótese é a sua semelhança com um disco vertebral de um paciente normal. Ela possui um núcleo em visco elástico com um ângulo fibroso com a mesma resistência da coluna de um ser humano o que facilita a fixação da vértebra”, afirma.

A recuperação imediata do paciente e a ausência de qualquer dor residual são os principais diferenciais dessa nova técnica. “Nós fizemos a implantação dessa prótese em dois níveis lombares e a recuperação surpreendeu inclusive os médicos. Geralmente, nas cirurgias de coluna de grande porte o paciente tem um período de recuperação muito mais longo, em que demora semanas para voltar a andar, sentindo dores no pós operatório. Com essa técnica, esses pacientes já se locomover entre 36 e 48 horas após a cirurgia e voltaram para suas casas andando. Uma semana depois, já estavam realizando todas as atividades que faziam antes”, detalha Dr. Perocco.

Mas nem sempre foi assim. Os bons resultados se devem a aperfeiçoamentos no equipamento, que já entra na sua terceira geração. A Artroplastia Lombar, nome médico dado a essa técnica, foi desenvolvida primeiro na Europa e só chegou ao Brasil em maio de 2018, mais de 20 anos após uma onda de fracassos na década de 90, quando surgiram as primeiras próteses desse tipo.

Outro ponto muito positivo da nova técnica é que ela pode ser indicada para uma grande variedade de pessoas, conforme ressalta o especialista. “Essa cirurgia é feita de forma minimamente invasiva e pode ser indicada para qualquer pessoa que esteja em boas condições de saúde, que apresente dores crônicas na coluna, algum tipo de degeneração no disco lombar e que não tenha apresentado melhora após o tratamento clínico. A única restrição é em casos de artrose.”

Para Dr. Marcelo, a chegada da prótese é um avanço necessário no país. “Antes a cirurgia convencional era a única opção. Mas, esse novo dispositivo devolve a mobilidade rapidamente sem dor residual, oferecendo qualidade de vida ao paciente. É uma grande conquista para pacientes com lombalgia sem melhora após o tratamento clínico”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.