Os novos horizontes da neurociência

484

Os avanços da neurociência têm propiciado um entendimento sobre o desenvolvimento e a estrutura do cérebro que impactam diretamente na vida humana. Para professores, por exemplo, pode contribuir na criação de alternativas pedagógicas, enquanto que na saúde permite estabelecer diagnósticos mais precisos de diversas doenças, bem como propor novos tratamentos. Esse imenso horizonte que se apresenta com o conhecimento do funcionamento do cérebro será o cerne do curso Neurociência Translacional promovido pelo Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), no Rio de Janeiro (RJ). Coordenado pelo neurocientista Roberto Lent, autor do livro “Cem Bilhões de Neurônios?”, e com a participação de nova geração de neurocientistas do IDOR e da UFRJ, o curso irá apresentar os mais recentes avanços da neurociência, bem como suas possibilidades de aplicação. Ele é dividido em três vertentes: Educação, Saúde e Sociedade. Cada uma está segmentada em dez módulos.

Lent destaca que pode soar estranho para quem não acompanha os avanços da neurociência a realização de um curso para um público geral. Entretanto, a compreensão do funcionamento do cérebro vem sendo aplicada em diversos setores da sociedade. “O neuromarketing é, hoje, um conceito bem consolidado. E em várias áreas profissionais a neurociência apresenta contribuições interpretativas e práticas, como na economia, psicologia, filosofia, jornalismo, entre outras”, observa Lent.

Quem participar do programa Sociedade vai poder, por exemplo, compreender como funciona o sistema emocional e, assim, saber lidar de uma forma melhor com as emoções, e entender como melhorar a sua concentração. No caso da Educação, o conceito de neuroplasticidade, por exemplo, fenômeno cada vez mais estudado em todo o mundo, ajuda a compreender como se dá o aprendizado e o funcionamento da memória. “Hoje, sabemos que o cérebro não é estático. Pelo contrário, ele muda de uma maneira muito dinâmica. E entender como isso ocorre, pode ajudar um professor a ter melhores resultados em sala de aula”, observa.

Na área da Saúde, o entendimento do cérebro permitiu que se tenha diagnósticos dos transtornos neuropsiquiátricos que ocorrem desde a infância, e as alternativas para tratá-los. Métodos de diagnóstico, doenças congênitas do sistema nervoso, fisiopatologia da dor e transtornos da linguagem e do sono estão entre os pontos que serão abordados no programa Saúde.

O curso terá uma carga horária de 40h e será dividido em aulas presenciais, sempre às segundas-feiras, e em vídeo-aulas. O início está previsto para 15 de julho. As inscrições vão até 12 de julho e podem ser feitas no site do IDOR www.idor.org/cursos/neurociencia-translacional. As aulas serão no Centro de Ensino e Treinamento IDOR, em Botafogo.

Deixe seu comentário