Pesquisa sobre teleconsulta mostram tendência e crescimento no setor

Durante a pandemia do novo Coronavírus, a telemedicina foi altamente difundida e explorada pela necessidade. De acordo com uma pesquisa do G2 Learning Hub, a telemedicina cresceu cerca de 372%, de março de 2020 até setembro de 2021. Com isso, percebemos uma constante mudança no meio tradicional de consultas em que o presencial passou a não ser mais a primeira opção durante o período de crise sanitária global. Assim, o paciente digital se tornou uma pessoa mais focada na qualidade de vida e conforto, independente de onde esteja.

Com isso, a Pixeon, healthtech com soluções de softwares para a área da saúde e líder do mercado no Brasil, e o BoaConsulta, plataforma de agendamento de consultas, realizaram uma pesquisa com 179 entrevistados, onde o foco foi saber mais sobre a situação atual da telemedicina no país, experiências dos pacientes e de médicos, além de opiniões e oportunidades com a tecnologia do setor da saúde.

A teleconsulta traz diversos benefícios, tanto do ponto de vista dos médicos e das instituições de saúde, quanto do ponto de vista dos pacientes. Segundo a pesquisa, os três principais pontos para clínicas e profissionais de saúde são:

• Praticidade/mobilidade — 78%;
• Atendimento a regiões remotas — 68,9%;
• Menor risco de transmissão de doenças — 63,3%.

Já para os pacientes os três principais benefícios da telemedicina são:

• Praticidade/mobilidade — 81,7%;
• Menor risco de transmissão de doenças — 70,9%;
• Atendimento a regiões remotas — 65,7%.

Com esses dados, podemos destacar que o formato da teleconsulta proporciona um atendimento de fácil acesso, democratizando assim o acesso à saúde.

Mas, como acontece com toda nova tecnologia, a teleconsulta também tem seus desafios pela frente. A pesquisa apontou que, atualmente, para 55,9% dos respondentes a segurança de dados está entre os principais desafios. Porém, empresas da área já estão desenvolvendo recursos tecnológicos para atender a essas demandas específicas, garantindo segurança e eficiência ao processo. Embora nos grandes centros urbanos haja um crescimento do chamado paciente digital, uma grande parcela da população ainda tem dificuldades com a tecnologia. Esse é outro ponto desafiador da telemedicina: cerca de 55,9% dos respondentes relataram ter dificuldades com a tecnologia. Ainda que a telemedicina tenha muitas questões para enfrentar, a experiência com a consulta online foi vista como positiva por 54% dos entrevistados, sendo que apenas 2,9% relataram vivências negativas.

Mesmo em processo inicial, a telemedicina no Brasil demonstra um potencial grande de crescimento entre as instituições de saúde e, aproximadamente, 81,5% dos entrevistados acreditam que a tecnologia será uma prática mantida após o período de pandemia. Para isso, é cada vez mais necessário a adoção de ferramentas que otimizem os processos, facilitem as interações de médicos e pacientes e garantam o nível de proteção de informações que um atendimento médico necessita.

A Pixeon e o BoaConsulta se uniram para oferecer uma solução que atenda às necessidades específicas relacionadas à aplicação da teleconsulta. A plataforma vem sendo adotada com sucesso em todo o Brasil, proporcionando excelência na experiência do paciente e, consequentemente, retornando bons resultados para as instituições de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.