Pixeon investe em novo espaço de inovação dentro do Hospital das Clínicas de São Paulo

261
Foto: Leo Orestes

Alinhada à sua missão de investir cada vez mais em conhecimento, inovação e tecnologia para transformar a saúde, a Pixeon acaba de se tornar mantenedora do Distrito Inova HC, hub de inovação com foco em startups da área de saúde. O espaço, que foi inaugurado em 12 de setembro,  no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), maior complexo hospitalar da América Latina, conta com 900 metros quadrados, e tem capacidade para residir até 20 startups, totalizando 150 pessoas. Uma das maiores empresas brasileiras de tecnologia para saúde, a Pixeon possui escritórios em Florianópolis (SC), São Caetano do Sul (SP) e Salvador (BA), com unidades de negócio distribuídas pelo país.

Para o CEO da Pixeon, Armando Buchina, a decisão de se tornar mantenedora do espaço é parte da estratégia de inovação da empresa, que acaba de colocar em prática um plano de investimentos de R$ 83 milhões em cinco anos para o desenvolvimento de novas soluções.

“A tecnologia da informação tem potencial para revolucionar a saúde nos próximos anos, tanto no sentido de oferecer um atendimento melhor e mais rápido ao paciente, quanto de termos fornecedores de serviços de saúde mais eficientes e saudáveis financeiramente. Esta iniciativa contribui para que a Pixeon siga na ponta da inovação do setor, apoiando o desenvolvimento de novas tecnologias em um ambiente integrado a um grande centro de excelência em saúde”, afirma.

As soluções da Pixeon são utilizadas por mais de 2.000 fornecedores de serviços de saúde, como laboratórios, centros de diagnósticos, clínicas e hospitais. Seu sistema de gestão de ponta a ponta otimiza processos e garante a segurança do paciente em todas as etapas: automatiza e agiliza o agendamento de consultas, exames e procedimentos para internação, embasam os profissionais com dados mais precisos sobre os pacientes, apoiam o backoffice e a gestão de suprimentos, faturamento, controle de glosas e financeiro, etc.

Buchina ressalta que a participação da Pixeon no Distrito Inova HC será importante para que a empresa dê continuidade no desenvolvimento de tecnologias disruptivas, entre elas a PICS,  plataforma de inteligência artificial da empresa, e tecnologias para análise de exames de imagem à distância. “São inovações que apoiam os médicos na realização de diagnósticos melhores, e que continuarão impactando o segmento por muitos anos”, completa o CEO.

Troca de conhecimentos

De acordo com o Distrito Inova HC, a ideia é que o espaço colabore para transformar a Faculdade de Medicina da USP em uma organização mais empreendedora, visto que muitas linhas de pesquisa têm forte potencial para virarem negócios. As soluções e tecnologias desenvolvidas pelas startups e pelas grandes empresas parceiras poderão ser absorvidas pelo HC, tendo ainda como possibilidade escalar essas soluções para outras instituições das redes públicas e privadas dos sistemas de saúde brasileiro e internacional.

Além da Pixeon, a iniciativa contará com a participação de outras grandes empresas como a AstraZeneca, Abbott, Alliar, iDr, KPMG, Cremer, Mafra, Johnson & Johnson Medical Devices, Semantix e Unimed, que terão suas áreas de inovação presentes e conectadas ao hub. Lá, poderão desenvolver suas próprias estratégias de inovação no espaço e, com isso, farão do complexo um ambiente de troca constante de conhecimento. Além das empresas parceiras, o Distrito InovaHC espera reunir corporações, investidores, universidade e startups, com o intuito de criar, testar e escalar soluções para a vasta gama de problemas existentes no sistema de saúde brasileiro.

Nesta nova unidade, o Distrito terá um grande diferencial. Além de oferecer uma grande estrutura para os residentes, como salas compartilhadas, privativas, salas de reunião e auditório, o espaço vai inovar ao montar dois laboratórios, um de Telemedicina e um de Hospital 4.0. Esses ambientes serão direcionados para recriar situações reais do ambiente hospitalar, além de servir como teste de novas tecnologias, como inteligência artificial, internet das coisas e impressão 3D.

Deixe seu comentário