Prevent Senior investe em radioterapia intraoperatória para tratamento de câncer de mama

Primeiro e único plano de saúde pensado para o adulto+, a Prevent Senior anuncia a aquisição do INTRABEAM®, equipamento de radioterapia intraoperatória (IORT) da alemã ZEISS, que permite uma intervenção bem menos invasiva no tratamento do câncer de mama, garantindo que a pele e estruturas mais profundas ao redor da área afetada sejam protegidas. Outra vantagem, igualmente relevante, é que a tecnologia faz com que a aplicação da radioterapia tenha uma duração mais curta em comparação à metodologia tradicionalmente utilizada – de feixe externo (EBRT) e, por isso, também menos invasiva.

Para Dr. Evandro Fallaci Mateus, Chefe da Mastologia da Prevent Senior, e Dr. Marcel Fang, Coordenador Nacional de Radioterapia da Prevent Senior, a aquisição do equipamento é um passo revolucionário para garantir a saúde e bem-estar das beneficiárias da rede. “Estamos constantemente em busca de soluções inovadoras para oferecer o que há de melhor aos nossos pacientes. Somos a primeira operadora do país a contar com o INTRABEAM, uma conquista grandiosa para o tratamento do câncer de mama nas pacientes idosas. Em tempos de pandemia, além da segurança do tratamento oncológico que a IORT já demonstrou, podemos tranquilizar e oferecer mais proteção às nossas beneficiárias evitando que elas, e também seus familiares, se desloquem por diversos dias para o tratamento com radioterapia convencional”, afirma o Dr. Fallaci.

O tratamento realizado com o INTRABEAM®, equipamento produzido pela ZEISS, referência mundial em microscopia e tecnologias para a área médica, acontece logo após a retirada do tumor, ainda no centro cirúrgico, desde que a paciente atenda aos critérios estabelecidos pelo cirurgião -como idade, tamanho do tumor, entre outros. Um aplicador em formato esférico é posicionado no leito tumoral e em seguida é iniciada a radioterapia direcionada, somente nas áreas afetadas, permitindo a realização oncoplástica logo após o tratamento radioterápico, se necessário.

Com duração de aproximadamente 30 minutos, a aplicação da radioterapia intraoperatória não oferece riscos à paciente ou à equipe médica, apresenta resultados clínicos equivalentes aos da técnica tradicional* – que dura em média entre três e seis semanas – e promove a melhoria na qualidade de vida das pacientes, que retornam ao seu convívio social e às suas atividades cotidianas mais rapidamente. Além disso, o procedimento diminui os efeitos colaterais associados ao método convencional de radioterapia, como fadiga, vermelhidão na região, sensibilidade ou alteração na cor da pele, proteção do pulmão, área cardíaca, e reduz o tempo de radioterapia – o que tem efeito psicológico positivo na paciente, que não precisa se deslocar por várias semanas e se expor a um ambiente clínico e/ou hospitalar, além de gerar mais segurança devido ao cenário pandêmico atual.

“Modelo único no Brasil, o Intrabeam com software Radiance nos permite simular o tratamento radioterápico com imagens, o que gera maior segurança e precisão nos tratamentos, não só na região mamária como também nos tumores de cabeça e pescoço, sistema nervoso central e tumores gastrointestinais. É um avanço tecnológico muito importante e nos impulsiona rumo ao objetivo de sermos o principal centro de estudos radioterápicos no Brasil e no mundo, além de dar suporte à equipe médica, fornecendo as condições para que o melhor tratamento esteja disponível aos nossos beneficiários”, ressalta o Dr. Fang.

Diante do cenário de pandemia, a tecnologia tem ainda importante papel na proteção e bem-estar das pacientes. “O INTRABEAM permite irradiar, de uma só vez, toda a área onde o tumor se encontra, sem comprometer o tecido saudável e ainda garantindo que a paciente não precise se submeter a diversas sessões de radioterapia. É uma verdadeira revolução, sobretudo no cenário atual, em que muitas pessoas têm medo de sair de casa. Os benefícios clínicos, sociais, financeiros e psicológicos são enormes”, explica Luciana Lima, Business Development Manager da ZEISS.

O INTRABEAM® está disponível no Hospital Sancta Maggiore Dubai, localizado no bairro Real Parque, em São Paulo. Atualmente, são realizadas em média 100 cirurgias de câncer de mama por mês na unidade. A previsão é que aproximadamente 30% das pacientes sejam elegíveis à aplicação de radioterapia intraoperatória (IORT).

Câncer de mama

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o tumor maligno mais incidente na população feminina brasileira, exceto pelos tumores de pele não melanoma. O risco estimado é de 43,74 casos a cada 100 mil mulheres. A doença ocupa a primeira posição (entre os tipos de câncer) em todas as regiões brasileiras, com valores maiores no Sudeste (57,41/100 mil) e no Sul (47,96/100 mil), seguidos por Nordeste (43,74/100 mil), Centro-Oeste (40,40/100 mil) e Norte (31,39 mil). Além disso, é o tipo de câncer mais incidente em mulheres no mundo todo, sendo a quinta causa de morte por câncer em geral (626.679 óbitos em 2018) e a causa mais frequente de morte por câncer em mulheres.

O diagnóstico precoce nas fases iniciais é fundamental para aumentar a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com maior índice de sucesso. Além de ações para reduzir as chances de desenvolvimento da doença, como evitar a exposição aos fatores de risco de câncer e a adoção de um modo de vida saudável, a realização do autoexame é essencial na prevenção ao câncer de mama, que não tem uma causa única – há diversas causas externas (presentes no meio ambiente) e internas, como hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas, que podem levar ao desenvolvimento da doença. Médicos alertam que é importante não deixar de realizar consultas nesse tempo de pandemia, pois a realização de todos os exames pode evitar maiores problemas.

Uma vez diagnosticado, é preciso buscar o tratamento adequado para o câncer de mama. Existem diferentes alternativas que devem ser definidas de acordo com o perfil da paciente e estágio da doença. Entre os tratamentos disponíveis estão a Radioterapia Externa Pós-operatória (EBRT), na qual são realizadas aplicações externas e periódicas de radioterapia após o procedimento cirúrgico, em período que costuma variar de 3 a 6 semanas, e a Radioterapia Intraoperatória (IORT), na qual é realizada uma única aplicação de radioterapia na área afetada, ainda no centro cirúrgico, logo após a cirurgia de remoção do tumor.

INTRABEAM® no tratamento de outros tipos de câncer

O INTRABEAM® é um aparelho portátil e pode ser conduzido para diferentes salas de cirurgia sem grandes dificuldades. Além do câncer de mama, o INTRABEAM® representa um importante aliado no tratamento de tumores cerebrais, de cabeça e pescoço; metástases de coluna e para variados tipos de câncer na pele, com exceção do melanoma. Pelo fato de irradiar um alvo e deixar intacta a região ao redor, a tecnologia pode ser explorada ainda para cânceres gastrointestinais e tumores na boca – sempre com os mesmos benefícios apresentados no tratamento do câncer de mama.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.