Primeiros hospitais nos EUA implantam dispositivo cardíaco para diminuir o risco de AVC

27

Em 5 de agosto de 2020, médicos do Instituto de Arritmias Cardíacas do Texas (TCAI) do Centro Médico St. David em Austin, Texas, e do Los Robles Health System em Thousand Oaks, Califórnia, tornaram-se os primeiros no país a implantar o único dispositivo aprovado pela FDA para reduzir o risco de acidente vascular cerebral em pacientes com fibrilação atrial não valvar. Os médicos desses hospitais, ambos do HCA Healthcare, realizaram a implantação quase simultânea do dispositivo de oclusão do apêndice atrial esquerdo WATCHMAN FLXTM.

Andrea Natale, médica, fellow da Heart Rhythm Society (FHRS), da American College of Cardiology (FACC), da Sociedade Europeia de Cardiologia (FESC), eletrofisiologista cardíaca e diretora executiva médica do TCAI, e Saibal Kar, médico, cardiologista de intervenção do Los Robles Health System, executaram o primeiro procedimento em Thousand Oaks, Califórnia, ao passo que Rodney Horton, médico, eletrofisiologista cardíaco do TCAI, trabalhou no primeiro caso em Austin, Texas. Além disso, o dr. Kar foi o principal investigador para o teste pré-clínico PINNACLE FLX para aprovação pela FDA, que avaliou o desempenho do dispositivo WATCHMAN FLX como uma opção para os anticoagulantes orais não antagonistas da vitamina K (NOACs, sua sigla em inglês) de longo prazo e outros medicamentos orais anticoagulantes.

“O novo dispositivo foi feito com base no mais estudado e implantado dispositivo de oclusão do apêndice atrial esquerdo no mundo como uma opção de tratamento para as pessoas com fibrilação atrial não valvar e não causada por um problema de válvula cardíaca, também conhecido como fibrilação atrial não valvar”, disse o dr. Kar. “Ele nos permite ajudar a tratar mais pacientes com segurança e eficácia, para garantir os melhores resultados.”

Estima-se que até seis milhões de americanos serão afetados pela fibrilação atrial não valvar, batimento cardíaco irregular que dá a sensação de coração acelerado. Pessoas com essa condição têm um risco cinco vezes maior de ter acidente vascular cerebral do que aquelas com ritmos cardíacos normais.

“Esse dispositivo é uma opção segura e eficaz para reduzir o risco de acidente vascular cerebral para pacientes com fibrilação atrial não valvar, especialmente aqueles que têm uma forte razão para não tomar afinadores de sangue”, disse o dr. Horton

Essa tecnologia foi criada para reduzir o risco de acidente vascular cerebral por meio da oclusão permanente de uma área do coração chamada apêndice atrial esquerdo para impedir que os coágulos prejudiciais que podem se formar nesse apêndice entrem na corrente sanguínea e possam causar um acidente vascular cerebral. Com a oclusão do apêndice atrial esquerdo, pode-se reduzir o risco de acidente vascular cerebral e, com o tempo, permitir que os pacientes parem de tomar anticoagulantes como o warfarin.

“O design arredondado nos permite entrar no apêndice atrial esquerdo com segurança e fazer as manipulações no local, o que permite uma implantação excelente e fornece estabilidade a longo prazo”, disse a dra. Natale. “O dispositivo está também disponível em tamanhos maiores que os da geração anterior, o que permite tratar uma gama maior de pacientes.”

O procedimento é realizado sob anestesia geral e demora cerca de uma hora. Os pacientes geralmente permanecem um dia no hospital e saem no dia seguinte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

quatro × cinco =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.