Rede Americas promove evento online sobre Aleitamento Materno

O Instituto de Conhecimento, Ensino e Pesquisa (ICEP) da Rede Americas em parceria com a SOE Materno-Infantil promoverá no dia 3 de agosto, das 10h às 11h30, o evento ‘Aleitamento Materno 2021: Proteja a Amamentação’, totalmente online e gratuito. A iniciativa faz parte do agosto Dourado, movimento da Semana Mundial do Aleitamento Materno utilizado como alerta à população e um reforço aos profissionais da saúde sobre sua importância para o desenvolvimento sadio dos bebês, celebrado anualmente por especialistas de todo o mundo. “Proteger a amamentação é uma responsabilidade de todos nós enquanto sociedade e comunidade médica. É necessário estimular ações vindas das iniciativas públicas e privadas que incentivem o aleitamento materno e informar a respeito das descobertas bifuncionais do leite para o crescimento das crianças”, ressalta a coordenadora do evento, Teresa Uras, pediatra neonatologista do Hospital Samaritano Higienópolis, de São Paulo (SP), e membro da SOE Materno-Infantil, no qual esse conhecimento tem sido disseminado para os colaboradores por meio dos gestores das unidades hospitalares, ou seja, de dentro para fora da companhia.

Durante o evento, médicos neonatologistas, obstetras, pediatras e equipe multiprofissional terão a oportunidade de assistir às palestras de especialistas do segmento. A Prof. Dra. Valdenise Calil, pediatra e neonatologista, médica assistente do Centro de Tratamento Intensivo Neonatal e coordenadora médica do Banco de Leite Humano do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, vai falar a respeito das ‘Vacinas de Covid-19 e Anticorpos no Leite Materno’; os diretores regionais da Rede Americas, Dr. José Emílio Bueno, Dr. Marcelo Caio Reis e Dra. Andrea Lamosa de ‘A experiência dos Hospitais Americas no Aleitamento Materno’; o Dr. Rubens Feferbaumprofessor em Pediatria no Instituto da Criança da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, com comentários da enfermeira Edna Bussotti sobre ‘Biofuncionalidade do Leite Humano, o que temos de novo’; e, por fim, a diretora de práticas assistenciais da Rede Americas, Virginia Paraizo, com comentários da enfermeira Fernanda Formagio falarão sobre ‘A Experiência da Equipe Multidisciplinar do Americas na Manutenção do Aleitamento Materno’. “É imprescindível essa renovação de conhecimento, falarmos de novas descobertas da medicina e as melhores formas de assistência à mãe a ao bebê no ambiente hospitalar, além do acompanhamento pós-alta desse binômio. É uma forma de contribuirmos para a saúde infantil e a redução da mortalidade dessa população”, informa Dra. Teresa.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), desde que a pandemia começou muitas mães deixaram de completar o calendário vacinal de seus filhos e foi registrado uma redução da vacinação em todo o país, aumentando o risco de outras doenças. Para a pediatra, isso é um retrocesso, pois o Brasil tem um dos maiores programas de imunização do mundo.

“Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que o aleitamento materno reduz em 13% a mortalidade infantil, protegendo contra doenças comuns na infância como diarreia, infecções respiratórias e alergia e aumenta a possibilidade dessa criança se tornar um adulto sadio. Além disso, é um alimento rico em anticorpos e o ato de amamentar fortalece os laços afetivos do binômio mãe e filho, e traz benefícios para a recuperação pós-parto e na redução do risco de câncer na mulher”, alerta.

Atualmente, muitas mães ficam em dúvida se o ato de amamentar implica em risco de infecção pelo leite materno para mulheres que testaram positivo para o novo Coronavírus. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), não há risco de transmissão do SARS-CoV-2 pelo leite materno, por isso não há razão para evitar ou interromper a amamentação, pelo contrário, lactantes assintomáticas devem permanecer com seu recém-nascido em regime de alojamento conjunto para fortalecer o aleitamento materno, muito importante nesse momento de pandemia.

Recentemente, estudos realizados no Brasil constataram que as mães vacinadas contra a Covid-19 produzem anticorpos que são transmitidos ao recém-nascido, pelo leite materno, portanto, amamentar é seguro. É recomendado que a mãe tome cuidados especiais anteriormente ao ato, como lavar as mãos antes e depois de tocar o bebê e usar máscara facial.

Os interessados em participar do evento poderão realizar a sua inscrição de forma gratuita e por meio deste link: encurtador.com.br/kpHPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.