Rio de Janeiro bate recorde de 2 mil cirurgias bariátricas em hospital estadual

2010

Carla Cristina Jardim da Silva, moradora de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, teve um Natal e um Réveillon mais leves este ano. Período em que muita gente ganha um pesinho extra por conta das festas, a youtuber de 28 anos olha hoje na balança e confere 18 quilos a menos. É que ela foi a paciente de número 2 mil a ser operada pelo médico Cid Pitombo, criador e coordenador do Programa de Cirurgia Bariátrica do Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

“É um trabalho de resgate desses pacientes, realizado com muita dedicação e seriedade por toda a equipe. Devolvemos à sociedade o paciente antes obeso que não trabalhava, que tinha vergonha de comprar roupas e que não tinha mais vida afetiva. Hoje estão empoderados, realizados e com qualidade de vida”, revela Cid Pitombo, médico que é referência nacional e internacional no combate à obesidade.

Já liberada pelos médicos, Carla Cristina pode comer de tudo no Natal. “Passei muito bem e respeitei a orientação de comer em poucas quantidades”, conta, feliz. Ela foi encaminhada para a equipe multidisciplinar do Programa com 147 quilos, dores e dificuldade de andar. Além de cuidar da saúde, Carla tem um motivo especial para emagrecer: o filho Matheus, de 5 anos.

“Eu sempre gostei de mim. Não me importava com os quilinhos a mais. Vi, no entanto, que precisava cuidar da minha saúde quando estava brincando com meu filho e não aguentava ficar em pé com tantas dores e falta de ar. Agora vou ter mais energia para estar com ele. Meu sonho é ensiná-lo a andar de bicicleta”, revela.

Pacientes do Dr. Cid Pitombo no SUS perderam juntos mais de 90 toneladas

Desde 2010, quando a equipe do dr. Cid Pitombo criou o Programa de Cirurgia Bariátrica no Hospital Estadual Carlos Chagas foram operados pacientes moradores de todas as regiões do estado do Rio de Janeiro. A média de atendimentos ambulatoriais está sendo mantida em 2.000/mês e a taxa de sucesso é de 99%.

A equipe do Programa é multidisciplinar, composta por médicos, enfermeiros, psicólogos e nutricionistas. A cirurgia não é o objetivo principal e sim a qualidade de vida e a mudança de hábitos. Mais de quatro mil pacientes estão sendo acompanhados pela equipe do Programa.

Estudo inédito feito pela equipe do dr. Pitombo apontou que a vida sexual e financeira dos ex-gordinhos só melhorou após a cirurgia. Cerca de 40% dos pacientes afirmaram que a vida sexual passou de ruim para muito boa. Outros 14% disseram que a vida entre quatro paredes passou de boa para muito boa. Os novos magrinhos também relataram aumento de mais de 30% na renda familiar.

Atendimento a jovens – Pioneiro neste tipo de tratamento, o Programa já tratava jovens pacientes dois anos antes da divulgação de portaria do Ministério da Saúde, permitindo a realização da redução de estômago pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para pacientes a partir dos 16 anos. O objetivo principal é focar no atendimento especializado e preventivo, ou seja, a redução do peso com dietas. O motivo da opção prioritária pela não intervenção cirúrgica de imediato está relacionado aos eventuais danos psicológicos em pessoas tão jovens.

Como ter acesso à bariátrica pelo SUS – Para se candidatar à cirurgia bariátrica no programa do Estado, o paciente deve procurar um atendimento ambulatorial próximo de sua casa para que um médico avalie a necessidade da cirurgia. Se a operação for indicada, o médico da atenção básica deve inserir o paciente na Central Estadual de Regulação, que faz o encaminhamento para o Programa de Cirurgia Bariátrica do dr. Cid Pitombo. As regras da fila são estipuladas pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Estado de Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.