Tecnologia impulsiona produtividade médica e aproxima profissionais e pacientes

43

O uso de tecnologias que possibilitam a interação entre médico e paciente tornou-se tendência na área da saúde nos últimos anos. Com a facilitação de ações burocráticas – como agendamento de consultas, compartilhamento de exames e de resultados, prescrições e relatórios – ganha-se em atendimento ainda mais qualificado e humanizado.

O processo de digitalização de clínicas e consultórios médicos se consolida gradativamente no país e, diante da crescente demanda, a presença digital dos profissionais de saúde torna-se cada vez mais determinante para atrair, aproximar e fidelizar pacientes. Conceitos como receita digital, prontuário eletrônico e marketing médico vêm se tornando grandes aliados para atender e informar bem os clientes, podendo impactar até mesmo na produtividade diária.

Há quatro anos, o médico ginecologista Pedro Leopoldo Silva Doria, de São Paulo (SP), decidiu explorar mais as ferramentas digitais em sua clínica, a exemplo do prontuário eletrônico e da telemedicina. “Os principais benefícios são a praticidade, a organização e a facilidade de acesso, a qualquer hora e lugar. Como gasto menos tempo para organizar um prontuário ou procurar uma ficha, tenho mais tempo para me dedicar aos meus pacientes e ajudá-los com o que precisam”, relata.

Doria afirma, ainda, que ao otimizar o atendimento e o processo de trabalho, conseguiu fidelizar mais pacientes e aprimorar a experiência da consulta, de forma a garantir outras indicações. “Esses recursos agregam valor para o consultório, para o profissional e para o paciente, que se sente mais seguro em relação à qualidade do atendimento que vai receber e com a segurança dos seus dados e informações”, completa.

Além das ferramentas de prontuário e atendimento digital, também ganham destaque as funcionalidades do marketing médico para profissionais que buscam meios de atrair e fidelizar pacientes. Um bom exemplo é o do fisioterapeuta osteopata Weslei Lima, de São Paulo (SP), que possui uma longa experiência com o software de prontuário médico do iMedicina, empresa referência em tecnologia em saúde.

“Eu percebi que evitar papéis dentro da clínica é ótimo. Com o prontuário eletrônico, eu consigo ver toda a evolução do paciente online. O cadastro e os agendamentos são mais rápidos, intuitivos e gastam bem menos tempo e esforço”, relata o fisioterapeuta. “Existem ainda outros diferenciais, como a criação de site, campanhas de direcionamento em sites de busca e redes sociais, e a interação entre o site e o software médico. A minha clínica, por exemplo, é uma das mais bem avaliadas do estado na pesquisa pelo Google. Muitos pacientes chegam até o nosso serviço devido as nossas boas avaliações online”, destaca.

A médica endocrinologista Raquel Oliveira, de Goiânia (GO), diz que os pacientes estão cada vez mais conectados. Ela destaca ainda o papel da tecnologia no contato e no acompanhamento do paciente após a consulta. “Tenho a opção de deixar programados e-mails em aniversários, datas comemorativas, lembretes importantes e temas de interesse do paciente. Acredito que eles gostam dessa atenção e de receberem informações úteis, além de se sentirem mais próximos da gente”, afirma.

Medicina do Futuro

Para a médica Raquel Oliveira, a tecnologia será ainda mais impulsionada neste ano, principalmente após o cenário de pandemia do novo Coronavírus. “A longo prazo, a digitalização é algo que, com certeza, vai se consolidar. E no futuro vai se destacar quem já estiver se adaptando agora. Sinto que estar familiarizada com isso já transmite mais confiança na qualidade do atendimento, porque demonstra que você é um profissional que está atualizado”, ressalta a endocrinologista.

O médico Pedro Doria concorda que o futuro aponta mesmo para essa direção. “O profissional que não investir em tecnologias vai ficar para trás. Ela vai ganhar cada vez mais espaço e isso realmente agrega muito para a dinâmica do atendimento ao paciente e ao consultório, além de trazer novas perspectivas”, observa o ginecologista.

Para o osteopata Weslei Lima, a tecnologia no trabalho médico ainda tem margem para evoluir e beneficiar todos os envolvidos. “Quem tem mais a ganhar com isso é, principalmente, o paciente, que tem um perfil cada vez mais exigente e preza pelo atendimento qualificado. Cabe a nós, profissionais de saúde, nos adequarmos a essa realidade e a essas exigências”, pontua.

De acordo com o médico oftalmologista e CEO do iMedicina, Raphael Trotta, utilizar a tecnologia para facilitar o dia a dia do profissional não significa mais atendimentos em menos tempo, mas, sim, maior produtividade e mais qualidade nas consultas. “Por meio do uso de softwares médicos e da automatização de determinadas tarefas, o profissional ganha mais tempo para fazer aquilo que domina e fortalecer sua autoridade. A tecnologia ajuda a gastar menos tempo fazendo planilhas, relatórios, contabilidade, emitindo notas fiscais ou buscando fichas de pacientes, por exemplo”, explica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

onze + sete =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.