“Transtorno da Personalidade Borderline” é tema de palestra na Casa de Saúde Saint Roman

O Centro de Estudos da Casa de Saúde Saint Roman promove a palestra “Transtorno da Personalidade Borderline: desfazendo estigmas e construindo formas de cuidado”, no dia 4 de maio, às 12h, com transmissão ao vivo pelo Facebook. A palestrante é a professora Mariama Furtado, psicóloga clínica, pós-doutora em Saúde Mental e Atenção Psicossocial (LAPS/FIOCRUZ) e diretora do Instituto Epokhé (Clínica e Formação em Gestalt-terapia)

Na ocasião, ela irá identificar os principais sintomas do quadro de Transtorno da Personalidade Borderline segundo o DSM-V (Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais); compreender seus aspectos clínicos gerais e as indicações terapêuticas no âmbito da atuação clínica em psicologia.

A psicóloga Mariama informa abaixo os objetivos do tema a ser abordado:

“Segundo o DSM-5, o Transtorno da Personalidade (TP) compreende um padrão persistente de vivência íntima ou comportamento que se desvia acentuadamente das expectativas da cultura, do meio social ao qual o sujeito pertence, se tornando invasivo e inflexível. Assim, um TP traduz uma pessoa com um padrão rígido e distorcido de pensamento, de funcionamento e de comportamento. Dessa forma ela apresentará importantes dificuldades para perceber e se relacionar com situações e com pessoas.

Os prejuízos no funcionamento da personalidade no Transtorno da Personalidade Borderline seriam caracterizados por uma instabilidade na autoimagem, nos objetivos individuais, nos relacionamentos interpessoais e nos afetos. Os traços de personalidade patológicos seriam labilidade emocional, ansiedade, insegurança de separação, depressão, impulsividade e exposição a riscos ou hostilidade.

Há, nestes pacientes, baixa capacidade de adaptação ao estresse e do próprio controle em relação ao relacionamento com os outros por dificuldade de compreensão. São pessoas mais dependentes, com instabilidade afetiva, impulsivos, com identidade difusa, suscetíveis a experiências dissociativas e a profundo sentimento de dor interior. Essas dificuldades podem ocasionar incapacidade de manter limites apropriados nas relações, comportamentos autolesivos, ideação e tentativas de suicídio.

Destacamos o imenso sofrimento vivenciado por esses pacientes e pensamos ser fundamental a discussão sobre formas de cuidado e intervenção alinhadas com propostas de acolhimento que valorizem a singularidade de cada pessoa e sua história. Embora o transtorno possua características semelhantes a várias pessoas, este se manifesta de forma única na vida de cada um. A escuta da pessoa em sofrimento e o vínculo de confiança é a principal ferramenta terapêutica.

Apontamos, ainda, os perigos dos processos de medicalização e patologização da vida. De modo que o diagnóstico deve ser feito por profissional experiente e comprometido com uma escuta que considere o contexto, vida e experiência de cada paciente, sem encaixá-lo em rótulos e estereótipos”.

O evento é organizado pelo Centro de Estudos, sob a coordenação dos psiquiatras Licínio Ratto e Ricardo Patitucci, e é voltado para os profissionais de saúde.

A palestra será transmitida ao vivo pela página do Facebook da Casa de Saúde Saint Roman.

O evento é aberto ao público. Para participar, basta acessar: www.facebook.com/saintroman.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.