UNIFESP abre inscrições para curso de Autocuidado e Saúde Integral

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) acaba de abrir inscrições para o curso online de Autocuidado e Saúde Integral. Serão 10 aulas, totalizando 20 horas, sempre às quintas-feiras, com início no próximo dia 21 de julho e término em 22 de setembro. As inscrições devem ser realizadas via Sistema de Informações de Extensão (SIEX) até o dia 17 de julho e o único pré-requisito é ter graduação na área da saúde.

As aulas serão virtuais (via Google Meet com apoio do Google Classroom). Os encontros serão síncronos e assíncronos para leitura e atividades, e terão como tema: Tríade de Autocuidado; Concepções de saúde e cuidado; Práticas Integrativas e Complementares; Pesquisas em Saúde e Autopesquisa; Linha do Tempo Saúde-Doença e Cuidado; Método FEMA; Canvas de Autocuidado. As atitudes trabalhadas serão: Não julgar; Ser paciente; Ter uma mente de principiante; Confiar; Aceitar; Não lutar; Deixar ir (não apego); Ser grato (gratidão); Ser generoso (compaixão).

“A partir de diferentes ferramentas, como a Linha do Tempo Saúde-Cuidado-Doença e o Canvas, vamos promover a construção de planos de autocuidado individualizados”, explica Mariana Cabral Schveitzer, coordenadora do curso e autora, junto com Fernanda Cabral Schveitzer, do livro “Autocuidado: a dinâmica da saúde integral”, referência sobre os cuidados com a saúde e autoconsciência. A docente também ressalta que o Canvas foi estruturado a partir do Método FEMA, ou ciclo dinâmico e contínuo do autocuidado, e está organizado em quatro etapas: encontrar, acolher, movimentar e recomeçar.

No Brasil, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PICS) foi instituída por meio da portaria MS nº 971, em 2006. Esta política veio com o intuito de abordar as práticas e ações em saúde com uma visão baseada na integralidade e humanização do cuidado, olhando para o indivíduo em sua totalidade, contribuindo para melhorar os resultados no campo da saúde, do social e do econômico.

Dentre as diretrizes desta política, que já ganhou diversas atualizações com o passar dos anos, consta na estruturação e fortalecimento das PICS no Sistema único de Saúde (SUS) algumas práticas como Homeopatia, Plantas Medicinais e Fitoterapia, Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura, Medicina Antroposófica e o Termalismo Social-Crenoterapia, Arteterapia, Ayurveda, Biodança, Dança Circular, Meditação, entre muitas outras.

Entre os benefícios estão a harmonização das funções biológicas, prevenção e alívio de dores no corpo, na coluna, problemas de músculos, tendões e outras doenças, melhora na postura e consciência corporal, relaxamento das tensões musculares, bem como promoção da saúde a partir do convívio em grupo e das trocas de experiências entre os participantes. Informações sobre evidências das PICS podem ser acessadas em: mtci.bvsalud.org/pt/mapas-de-evidencia-2.

“A proposta não é definir qual é o melhor caminho, mas, de fato, modificar a lógica da construção do cuidado, com a valorização das tecnologias de diferentes racionalidades e compreensões de saúde, em constante interação, para aprender a cuidar de si mesmo e dos outros, com integralidade”, reforça Mariana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.