Vera Cruz Hospital alerta para poder do diálogo na prevenção de suicídios

11

Você sabia que é possível salvar vidas apenas batendo um papo? O ato de se dialogar sobre problemas ou sentimentos pessoais é tão poderoso que se transformou em uma hashtag especial do Vera Cruz Hospital, de Campinas (SP), para lembrar do Setembro Amarelo, o mês de combate ao suicídio: #VocêNuncaEstaráSozinho.

A cada 40 segundos uma pessoa tira a própria vida no Brasil e 17% das pessoas no País já pensaram, em algum momento, em cometer suicídio. Os dados constam na cartilha “Suicídio – Informando para Prevenir”, elaborada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em parceria com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). E ao contrário do que se presume, falar sobre o assunto não aumenta os riscos. Divulgar informações, como métodos de se identificar sintomas e sinais, e a relevância de se procurar por ajuda profissional, pode salvar vidas. Conversar sobre o problema alivia sentimentos de angústia, tensão, e pode ter papel fundamental no convencimento a potenciais suicidas em buscar auxílio assertivo.

“Aquela história de ‘cão que ladra, não morde’, é um mito. Quem fala, faz. E, muitas vezes, quem não fala, faz também. Quem fala, porém, se dá a oportunidade de ser ajudado. O que a pessoa precisa saber, nesta hora, é que ela nunca estará sozinha”, argumenta Gabriel Banzato, coordenador da Psicologia do Vera Cruz Hospital. “Muitas vezes, a pessoa que idealiza um suicídio não está pensando em tirar a própria vida. Está pensando em acabar com um sofrimento, com uma dor. Se esta dor for física, até um analgésico pode resolver. Mas, e se não for? Viver com dor é muito difícil. Por isso, a importância da conversa, da comunicação”, completa o especialista.

Na visão do médico psiquiatra responsável pelos Serviços de Interconsulta em Psiquiatria do Vera Cruz Hospital e do Vera Cruz Casa de Saúde, Petrus Raulino, o assunto tem de ser levado à sério também por se tratar de uma emergência médica. “Mais de 90% dos casos de suicídio são relacionados a transtornos mentais e principalmente a quatro grupos de transtornos psiquiátricos: o primeiro é relativo a transtornos de humor, como depressões e transtorno bipolar, por exemplo; o segundo é composto por transtornos pelo uso de substâncias psicoativas, como álcool e drogas; o terceiro grupo é de transtornos de personalidade, como, por exemplo, pessoas impulsivas ou com outro tipo de instabilidade emocional. O quarto e último é o que chamamos de transtornos psicóticos como a esquizofrenia. Portanto, transtornos mentais precisam ser avaliados em pessoas sob risco de suicídio para a abordagem adequada. E tentativas de suicídio são consideradas emergências médicas que devem ser atendidas, em um primeiro momento, por serviços de emergência em saúde”, explica.

Em 2003, a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o 10 de setembro como o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. O Setembro Amarelo começou em 2014 no Brasil, por meio do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal De Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

“Precisamos derrubar alguns mitos sobre este assunto. O primeiro: ‘quando a pessoa decide cometer suicídio, ninguém consegue convencê-la do contrário’. Em mais de 50% dos casos as pessoas verbalizam antes. Portanto, buscam uma forma de apoio. A conversa é super importante, por este motivo, para ajudar a salvar vidas. O segundo é que ‘pessoas que possuem algum tipo de transtorno psiquiátrico que pode levar ao suicídio não procuram serviços de saúde’. Novamente, em mais de 50% dos casos, pessoas que tiveram ou têm – comportamento suicida passaram por serviços de saúde anteriormente, pois o transtorno mental, com frequência, não provoca apenas sintomas psíquicos, mas também sensações físicas, como falta de ar e angústia, para citar algumas”, reforça Raulino.

Segundo o especialista, o comportamento suicida varia de pensamentos e ideias até a concretização, passando por planos e planejamentos. E a tentativa de suicídio se caracteriza por uma emergência médica, pois precisa de intervenção imediata em razão do risco de morte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

12 − um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.