Artigo – Administração Hospitalar: a essência e os desafios no atual cenário da saúde

601

Em 14 de julho, comemoramos o Dia do Administrador Hospitalar, profissionais de gestão em saúde que, diariamente, dedicam seus esforços e conhecimento para melhorar a condição de saúde e vida das pessoas. Esta data tão marcante tem sua origem com São Camilo de Lellis, considerado o patrono e protetor dos Hospitais e Administradores Hospitalares.

No século XVI, São Camilo iniciou um trabalho de organização dos hospitais cujos fundamentos, séculos depois, evoluiriam para se tornar uma ciência acadêmica.

Comemorar este dia especial é lembrar o principal legado deixado por São Camilo: o amor, dedicação e cuidado com o doente, em especial os mais necessitados.

Administrar um hospital é uma tarefa desgastante e desafiadora. Já dizia um dos papas da administração do século XX, Peter F. Drucker, que o hospital é uma das mais complexas organizações concebidas pelo homem.

O gestor tem a tarefa de organizar, coordenar e controlar o hospital, conciliando recursos humanos, financeiros e físicos, sempre tendo como principal objetivo recuperar e cuidar da saúde do doente.

Além desta complexidade interna, o atual mundo moderno exige que os administradores hospitalares estejam conectados com o seu entorno e tenham uma visão ampla e estratégica a curto, médio e longo prazo.

Estes profissionais devem se atentar ao impacto que situações do macrossistema de saúde exercem nos hospitais que gerenciam, considerando os problemas que afetam e afetarão o sistema de saúde no Brasil e da América Latina como: envelhecimento da população, mudança do perfil epidemiológico, catástrofes naturais e processos migratórios.

Somados a estes fatores, também é vital acompanhar com atenção as inovações e tecnologias que podem impactar significativamente os sistemas de saúde nos próximos anos, com destaque para a nanotecnologia, a ciência quântica e a robótica.

Em entidades públicas ou privadas, a atuação do administrador hospitalar com esta bagagem de conhecimento, em especial nas regiões mais carentes do País, tem tido impacto significativo no sistema de saúde brasileiro. Mais do que isso: ao tornar os serviços de saúde e hospitais mais eficientes, humanos e com qualidade assistencial, os administradores hospitalares têm ajudado cuidar e salvar milhares de vidas.

Como afirma um dos grandes mestres da área no Brasil e primeiro presidente da Pró-Saúde, o padre Niversindo Antonio Cherubin, “o administrador hospitalar apaixonado coloca a Instituição que administra e a profissão que abraçou em absoluto destaque”.  É a paixão por servir o outro, como acrescenta, ainda, o atual presidente da Pró-Saúde Dom Eurico dos Santos Veloso.

É isto que temos visto por todo Brasil. Como a entidade de saúde com o maior quadro de administradores hospitalares do país, a Pró-Saúde pode comprovar esta paixão e cuidado com os que mais precisam.

São resultados alcançados por profissionais que atuam de Norte a Sul do Brasil, tendo como principal foco ofertar serviços de qualidade, eficientes e humanizados para populações carentes que dependem do sistema público de saúde.

Mesmo diante de todos estes desafios, tecnologias inovadoras e conhecimento técnico, a essência da atividade do administrador hospitalar continua sendo a mesma ensinada por São Camilo de Lellis: o amor, dedicação e cuidado com o doente, em especial os mais necessitados.

Danilo Oliveira da Silva é administrador hospitalar, mestre em Administração, doutorando em Saúde Pública e diretor de Operações da Pró-Saúde

Deixe seu comentário