Como treinamento com arte está impactando o dia a dia dos profissionais do Hospital de Amor

575

Nesta quinta-feira (11), os colaboradores do Hospital de Amor e da Santa Casa de Misericórdia de Barretos (SP) completam o último módulo de um treinamento cujo objetivo é desenvolver um olhar ainda mais próximo e humanizado aos pacientes.

Em parceria com o Hospital de Amor e apoio da área de Responsabilidade Social Corporativa da MSD, a Arte Despertar tem contribuído com este processo por meio vivências estratégicas envolvendo a arte, a partir da narração de histórias, músicas e a sua experiência de mais de duas décadas atuando no ambiente hospitalar.

A cada um dos quatro módulos do programa, a Arte Despertar tem trabalhado um aspecto diferente, como autoconhecimento, empatia, comunicação e relacionamento, num total de 16 horas. Cerca de 140 colaboradores passaram pelo treinamento.

“Desde a primeira vez que participei eles nos transmitem calma e ativam em nós lembranças e sentimentos muito fortes com as histórias que são contadas. E me conhecendo melhor, consigo dar o meu melhor sentimento para os pacientes que vivenciam uma carga tão pesada durante o dia. E com isso passei a observá-los com ainda mais atenção”, relata Ruth Rocha, que atua na área de transplante de medula óssea no Hospital de Amor.

O autoconhecimento e a empatia também foram apontados pela enfermeira Lívia Almeida, do Pronto Socorro da Santa Casa de Barretos, como aspectos cruciais que a estão fazendo se aproximar ainda mais dos pacientes.

Mesmo reconhecendo os desafios de observar melhor o outro na correria do hospital, ela já consegue ver melhoras no seu atendimento a partir das vivências propostas no decorrer dos treinamentos.

“Falar sobre empatia é fácil, mas na prática às vezes é diferente. E com esses treinamentos eu consegui ter um olhar mais amplo em relação ao paciente. Às vezes aquela pessoa não quer falar e temos que observar mais para saber o que realmente está acontecendo e oferecer nossa ajuda. Isso é empatia e está tendo um grande impacto no meu trabalho”, afirma a enfermeira.

De acordo com a gerente de enfermagem do Hospital de Amor e da Santa Casa de Misericórdia De Barretos, Renata Paschoal, “o programa de treinamento ‘Arte Despertar’ foi e está sendo super enriquecedor. A maneira como é conduzido torna o ambiente leve, agradável, humano e criativo. Através disso, as pessoas tiveram a oportunidade de repensar suas atitudes no dia a dia, e o que é de fato necessário para uma melhor performance em relação ao atendimento aos nossos pacientes.

É notório um maior envolvimento dos participantes e o reflexo disto em nossa rotina. Estamos bem felizes com o resultado desses encontros. As próprias equipes estão mais abertas para um modelo mais criativo e provocativo”, afirmou.

“A narração tornou tudo claro pra nós”

O método de usar a narração de histórias para provocar reflexões e simular situações vividas no dia a dia do hospital foi o que mais impressionou o enfermeiro José Luís, que atua no Hospital de Amor.

Defensor da humanização como algo que deve acontecer naturalmente em cada gesto realizado no hospital, ele conseguiu ver com ainda mais clareza aquilo que precisa ser melhorado em seu dia a dia na instituição.

“O treinamento desperta isso de você se conhecer e fazer essa leitura não verbal do outro para guiar o seu atendimento. E essa metodologia de trabalhar com narração faz com que o todo tema abordado saia do abstrato para o concreto para nós”, reflete o enfermeiro.

Para quem atua nos Cuidados Paliativos, como a enfermeira Érica Soares, essas habilidades se tornam ainda mais imprescindíveis. Para ela, o treinamento tem superado as suas expectativas não apenas por resgatar aspectos importantes que se perdem na correria diária, mas também por permitir aos profissionais dedicarem um tempo para si próprios.

“Hoje eu saio daqui muito mais leve, calma e com paz interior”, relata.

Deixe seu comentário