Escolas da rede pública recebem treinamento em primeiros socorros

265
Foto: Leonardo Lenskij

Foi a primeira vez que a estudante Thainá Pereira Lopes, de 18 anos, teve contato com procedimentos de primeiros socorros. Mais do que aprender a salvar vidas, esse foi o primeiro passo para jovem realizar seu sonho: ela quer seguir carreira na saúde e planeja entrar em algum curso da área no ano que vem. Essa e outras histórias fizeram parte da atividade “Educar para prevenir”, promovida esta semana pelo Hospital Moinhos de Vento nas escolas públicas Ildo Meneghetti e Raul Pilla, no bairro Restinga, em Porto Alegre (RS).

Durante dois dias, alunos do curso técnico em enfermagem da Escola de Educação Profissional  do Hospital Moinhos de Vento ensinaram fundamentos sobre primeiros socorros e atendimento a parada cardiorrespiratória para 152 pessoas, entre professores, funcionários e estudantes do último ano do Ensino Médio. Eles assistiram a palestras e, depois, simularam uma massagem cardíaca em bonecos utilizados no treinamento. “Não ensinam pra gente na escola ou em casa como agir numa situação assim. Agora eu vou saber o que fazer se acontecer alguma coisa com alguém da minha família, com um amigo ou até um desconhecido, na rua”, contou Thainá.

Esse sonho já está sendo concretizado pelo aluno do curso técnico em enfermagem, Marcelo Reges Góes. Morador da Restinga, ele voltou ao bairro para conduzir o treinamento em uma das escolas. Ele se forma no fim do ano e ficou feliz em compartilhar os conhecimentos com sua comunidade de origem. “Sendo uma região vulnerável, a maioria das pessoas não tem acesso a essas informações, à educação para a saúde”, destacou. “E, quem sabe, esse meu sonho não é também o de alguns deles. Um dia, esses meninos e meninas também podem se tornar profissionais da saúde.”

Para Rafael Albuquerque, professor do curso Técnico em Enfermagem, é fundamental que noções de primeiros socorros sejam ensinadas nas escolas. “Nossa ideia é aproveitar para que os alunos mostrem o que eles aprenderam no curso, como futuros profissionais da área da saúde, aliando a prática a um serviço fundamental para essas comunidades. Quanto mais gente preparada para atuar numa situação dessas, mais vidas serão salvas”, afirmou.
 
Formação e qualificação

A atividade faz parte do projeto “Formação e Qualificação de Técnicos para o SUS”, desenvolvido pelo Hospital Moinhos de Vento em parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS). O projeto oportuniza a profissionalização em Enfermagem para pessoas oriundas de regiões vulneráveis. Com formatura prevista para novembro, essa é a 10° turma da iniciativa que já formou 232 profissionais Técnicos em Enfermagem de forma gratuita. A boa taxa de empregabilidade dos egressos demonstra sua importância da profissionalização em regiões vulneráveis, além da qualificação da assistência prestada no SUS.

Segundo a pesquisadora do projeto, Marcela Pasetto, ações como a realizada nas escolas da Restinga são mais do que uma atividade acadêmica. “A educação em saúde pode melhorar hábitos, promover comportamentos positivos de saúde que ajudam a prevenir doenças e dar mais qualidade de vida a essas pessoas”, ressaltou.

E os conhecimentos adquiridos serão compartilhados. As jovens Daniele Fagundes da Silva e Evelin Machado Garcia, de 17 e 18 anos, garantiram que vão ensinar os primeiros socorros a familiares e amigos. “Agora eu sei como ajudar alguém numa situação dessas”, concluiu Daniele.

Deixe seu comentário