Artigo – Produtos à base de cannabis no tratamento do autismo

55

Cientistas e médicos têm buscado alternativas para melhoria da qualidade de vida de pessoas que sofrem com transtornos e doenças psicológicas. Os produtos fitoterápicos à base de cannabis estão se tornando um forte aliado da medicina, por auxiliarem o corpo humano a desenvolverem suas funções fundamentais e assim diminuir os danos dessas desordens.

O estudo de 2019, publicado pela Frontiers in Neurology (periódico cientifico norte-americano especialista em pesquisas de saúde pública), “Efeitos do extrato do Canabidiol no Transtorno do Espectro Autista (TEA)”, investigou os impactos desses produtos em dezoito crianças com TEA. Os pacientes receberam doses de canabidiol (CBD), substância medicinal sem efeitos psicoativos, e tetrahidrocanabinol (THC), também medicinal e que tem seus efeitos psicoativos controlados pelo CBD, durante 6 a 9 meses.

Essas crianças apresentavam transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), distúrbios comportamentais, convulsões e deficiências: motoras, de autonomia, comunicacionais e sociais. Com o tratamento, quinze crianças, cinco com epilepsia, apresentaram melhoras significativas com a administração dos produtos de cannabis. Sendo que dez utilizavam outros medicamentos e continuaram a ter melhoras com a redução e até mesmo sem o uso dos fármacos. A pesquisa conclui que o uso dos canabinoides podem melhorar substancialmente a qualidade de vida e a redução dos sintomas de pacientes com o Transtorno do Espectro do Autismo.

O TEA reúne desordens que impactam nas capacidades sociais e de desenvolvimento neurológico, presente desde o nascimento ou que podem surgir durante a infância. Os tipos mais comuns do espectro são: Síndrome de Asperger, Transtorno Invasivo do Desenvolvimento, Transtorno Autista e Transtorno Desintegrativo da Infância. Os últimos dois tipos de autismo apresentam sintomas mais graves, como os dos pacientes do estudo.

Essas manifestações causam alterações no funcionamento do Sistema Nervoso, responsável por desempenhar papéis fundamentais no controle do corpo. Os produtos à base de cannabis tem obtido êxito em restabelecer essas funções nervosas.

Isso acontece porque os canabinoides, como o CBD e o THC, atuam no sistema endocanabinóide. Este sistema é responsável pela homeostase, ou seja, ele estabiliza o organismo para sua condição de equilíbrio, e desta forma, o individuo é capaz de realizar as funções adequadamente.

Além disso, é comum que crianças com TEA, apresentem outras alterações psicológicas, como a ansiedade e insônia, e dores crônicas. Sintomas que também afetam o sistema nervoso e podem ser amenizadas e até curadas com os fitoterápicos da cannabis.

O autismo afeta uma em cada 40 crianças nos Estados Unidos. Já no Brasil, não existem informações sobre o número de ocorrências. Mas, segundo o Censo Escolar, o número de matrículas de crianças diagnosticadas com TEA aumentou 37% em 2018, em relação ao ano anterior.

Mesmo com as melhorias com os produtos à base de cannabis, é importante ressaltar que cada paciente com TEA apresentas características particulares, e assim como qualquer outro tratamento, deve ser recomendado e acompanhado por médicos.

Gabriela Gonçalves é Diretora Médica da Ease Labs

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

15 + dezenove =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.